Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

IPCA-15 aumenta para 0,49% em novembro, revela IBGE

RIO - O Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) registrou elevação de 0,49% em novembro, superando em 0,19 ponto percentual a taxa apurada um mês antes, de 0,30%. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Valor Online |

Novamente, Alimentação influenciou na aceleração do indicador. Depois de uma alta de 0,05% em outubro, o grupo subiu 0,90% agora.

O organismo notou que o ramo Alimentação e Bebidas foi responsável por 0,20 ponto percentual no IPCA-15 do mês, "ou seja, 42% da taxa". Teve impacto no avanço mais marcado do grupo o item carnes (4,52%), que registrou a maior contribuição individual no mês, de 0,10 ponto percentual.

Também mereceram menção os acréscimos nos preços do feijão preto (7,65%), açúcar refinado (5,13%), carne seca (4,55%), frango (1,86%), arroz (1,33%) e leite pasteurizado (1,18%).

Quanto aos produtos não-alimentícios, houve expansão de 0,37% este mês, idêntica à de outubro. Entre o mês passado e o atual, observou o IBGE, "alguns itens importantes na despesa das famílias apresentaram desaceleração, com destaque para os artigos de vestuário, que passaram de 1,24% para 0,56%, os artigos para reparos de residência, de 1,89% para 1,50%, o salário dos empregados domésticos, de 1,11% para 0,85%, e a taxa de água e esgoto, de 1,37% para 0,15%".

No acumulado do ano, o IPCA-15 expandiu-se 5,79%, excedendo os 3,64% apurados em igual intervalo de 2007. Nos 12 meses terminados em novembro, foi verificada ampliação de 6,54%, excedendo os 6,26% dos 12 meses imediatamente anteriores.

O IPCA-5 refere-se a famílias com rendimento de um a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia.

O indicador é uma prévia para o resultado do IPCA, índice escolhido pelo governo para balizar o regime de metas de inflação. O cálculo dos dois indicadores é baseado na mesma metodologia. A diferença ocorre apenas nos períodos de coleta de preços.

Para o cálculo do IPCA-15, os preços foram coletados de 14 de outubro a 13 de novembro e comparados com aqueles de 13 de setembro a 13 de outubro.

(Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG