Agenda da semana tem indicadores relevantes tanto no mercado local quanto no ambiente externo

A semana que começa reserva indicadores relevantes tanto no mercado local quanto no ambiente externo. Por aqui, atenções voltadas ao comportamento da inflação oficial em setembro.

A expectativa é de que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fique entre 0,45% a 0,50%, depois de marcar 0,04% em agosto. Nos Estados Unidos, foco nos dados sobre o comportamento do mercado de trabalho. Está estimada uma pequena criação de vagas para setembro.

Já na Europa, os investidores acompanham as decisões de política monetária do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco da Inglaterra (BoE). Como a eleição presidencial indo para o segundo turno, os investidores também acompanham a reação do dólar, da Bolsa e dos juros futuros.

Conforme notou o chefe de pesquisa para América Latina da Nomura Securities, Tony Volpon, como Dilma Rousseff começa o segundo turno liderando as pesquisas, e historicamente quem começa nessa posição nunca perdeu uma eleição, a reação do mercado pode ser tímida, já que a maior parte dos participantes vai assumir que no fim a candidata petista vencerá o pleito.

Olhando especificamente para o câmbio, Volpon considera muito pouco provável que novas medidas para conter a valorização do real sejam anunciadas durante o segundo turno, o que pode acabar abrindo espaço para mais uma rodada de valorização do real.

"Claro que tudo isso só é válido enquanto o mercado manter a crença de vitória da Dilma. Caso as pesquisas passem a apontar uma vitória de Serra, podemos esperar um movimento de forte de baixa do real, já que a expectativa é de que Serra será muito mais agressivo na luta contra a apreciação do real", escreveu o especialista.

De volta aos indicadores, nesta segunda-feira, atenção às encomendas à indústria americana referente ao mês de agosto e à venda de imóveis pendentes. Por aqui, o Banco Central (BC) apresenta o relatório Focus e a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) mostra o comportamento do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de setembro.

Já a Fundação Getulio Vargas (FGV) apresenta o Índice de Preços ao Consumidor Semanal para as cidades São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Brasília, Salvador e Recife. Amanhã, atenção aos indicadores industriais da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e ao índice de atividade no setor de serviços dos EUA.

Na zona do euro, os investidores conhecem as vendas varejistas. Na quarta-feira, a ADP, empresa que processa folhas de pagamento, mostra a criação de vagas no setor privado americano. Também é conhecida a leitura final para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro no segundo trimestre.

Já na quinta-feira, foco no IPCA de setembro. O dia também reserva as decisões de juros na Europa e a produção industrial da Alemanha. Fechando a semana, os dados oficiais sobre o mercado de trabalho nos EUA e a variação do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) de setembro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.