Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

IPC da Fipe desacelera para 0,44% na 3ª prévia

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) desacelerou de 0,52% na segunda quadrissemana de setembro para 0,44% na terceira quadrissemana do mês. O resultado foi anunciado ontem pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Agência Estado |

O índice, que mede a inflação na cidade de São Paulo, ficou dentro das expectativas dos analistas consultados pela Agência Estado, que iam de 0,40% a 0,56%. O coordenador do índice, Antonio Evaldo Comune, havia previsto 0,42% para a terceira prévia do mês.

Os grupos que apresentaram elevação entre a segunda e a terceira prévia do mês foram Saúde (de 0,47% para 0,62%) e Vestuário (de 0,22% para 0,38%). Recuaram os segmentos Habitação (de 1,24% para 0,97%), Transportes (de 0,27% para 0,25%), Despesas Pessoais (de 1,18% para 0,98%) e Educação (de 0,10% para 0,06%). No segmento Alimentação, a taxa negativa recuou de 0,55% para 0,47%.

A alta menos intensa no grupo Habitação foi o principal fator da desaceleração do IPC na terceira quadrissemana de setembro (últimos 30 dias encerrados no dia 22) na capital paulista. O grupo interrompeu um processo de seis altas consecutivas, iniciado na primeira quadrissemana de agosto (30 dias terminados no dia 7), quando os preços do grupo haviam subido 0,04%, ante uma queda de 0,09% do fechamento de julho.

Dentro do grupo Habitação, a redução no impacto do reajuste da tarifa de energia foi o principal fator para o início do processo de desaceleração. O item Energia Elétrica subiu menos e confirmou as expectativas da maioria dos analistas do mercado financeiro e da própria Fipe: apresentou variação de 3,58%, ante alta de 5,9% da segunda leitura do mês. No período pesquisado, a alta do grupo Habitação só não foi menor porque outro preço administrado, a Conta de Telefone Fixo, subiu mais (2,55%) do que na segunda quadrissemana (2,3%), ainda refletindo o reajuste de 3,01% promovido pela Telefônica na tarifa de telefonia fixa no fim de julho.

Outro comportamento favorável para a inflação paulistana foi observado no grupo Despesas Pessoais, cuja elevação, de 0,98%, foi menor do que a da segunda prévia, de 1,18%. Após a divulgação do resultado, o coordenador do IPC da Fipe reduziu de 0,38% para 0,36% a previsão de inflação paulistana para setembro.

Segundo Comune, a alteração foi motivada, principalmente, pela expectativa de um comportamento mais favorável para os alimentos até o fim do mês, já que, na avaliação do coordenador, a redução na queda do grupo Alimentação está sendo observada de maneira mais fraca do que a prevista. Se for confirmada a projeção de Comune, o IPC de setembro será ligeiramente mais baixo que o de agosto. No mês passado, a inflação atingiu 0,38% na cidade de São Paulo. Para a inflação anual, Comune manteve a expectativa de 6,4%.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG