Tamanho do texto

BRASÍLIA - A entrada de investimentos externos diretos líquidos no país totalizou US$ 2,718 bilhões em junho, informou há pouco o Banco Central (BC). O resultado ficou pouco abaixo da previsão da autoridade monetária, de US$ 3 bilhões. No sexto mês de 2007, houve ingresso de US$ 10,318 bilhões.

No primeiro semestre de 2008, foi registrada entrada de investimentos externos de US$ 16,702 bilhões (2,41% do PIB), menor do que os US$ 20,852 bilhões de intervalo equivalente do ano passado (3,28% do PIB). A previsão do BC para este ano é de que o investimento estrangeiro direto atinja US$ 35 bilhões, marca próxima ao acumulado em 2007, quando alcançou recorde histórico de US$ 34,585 bilhões.

Nos 12 meses até junho, ingressaram US$ 30,435 bilhões, ou 2,22% do Produto Interno Bruto (PIB).

Os dados levam em conta também os empréstimos intercompanhias, aqueles feitos pela matriz da multinacional para a subsidiária brasileira. Além disso, abatem as remessas feitas por conta de ganho do capital investido.

A autoridade monetária notou que, do total ingressado em junho de 2008, US$ 2,424 bilhões foram participação no capital. Foram contabilizadas também entradas líquidas de US$ 294 milhões em empréstimos intercompanhias.

Houve saída de US$ 1,042 bilhão de investimentos diretos de companhias brasileiras no exterior (IBD) em junho ante saída de US$ 81 milhões no mesmo mês do exercício passado. No acumulado deste ano, o IBD apresentou saída líquida de US$ 8,579 bilhões frente a retornos de US$ 3,426 bilhões nos seis primeiros meses de 2007.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.