RIO DE JANEIRO - Os investimentos da Petrobras, incluindo novos projetos como a exploração do pré-sal e as cinco novas refinarias da companhia, subiram para US$ 174,4 bilhões entre 2009-2013, uma alta de 55% em relação ao plano 2008-2012, que previa a liberação de US$ 112,4 bilhões.

Somente os novos projetos vão absorver US$ 47,9 bilhões do total, sendo que US$ 28 bilhões serão destinados ao desenvolvimento dos projetos do pré-sal, informou nesta sexta-feira o presidente da estatal, José Sergio Gabrielli. "É um investimento bastante robusto para a atividade da Petrobras, para o setor de petróleo e gás e para a cadeia de suprimentos, com impactos significativos para a economia nacional", disse Gabrielli durante o anúncio do plano.

O Conselho de Administração da Petrobras se reuniu em Brasília mais cedo para aprovação do Plano de Negócios 2009-2013. Antes da definicição dos valores, houve uma reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que garantiu a Gabrielli apoio financeiro à indústria nacional. "Não é um processo tradicional, mas nossos processos decisórios foram preservados e resolvidos no Conselho autonomamente", disse Gabrielli, justificando a presença pela primeira vez de Lula nas discussões estratégicas da empresa.

Os projetos utilizaram como referência o barril de petróleo Brent em US$ 42. Para 2009, quando serão investidos US$ 28,6 bilhões, o barril de referência foi estimado em US$ 37.

O executivo afirmou que já há garantia de US$ 11,9 bilhões do BNDES e US$ 5 bilhões de bancos internacionais em 2009. O restante, segundo Gabrielli, não terá problema de captação, "até porque estamos confiantes de que vamos reduzir esse total", afirmou, lembrando que com a queda do preço do petróleo a tendência é de redução dos custos com bens e serviços.

"Vamos modificar o processo de contratação, apresentar novas formas de contrato e redefinir o tipo de abordagem aos fornecedores, para reduzir esse volume de investimentos, não vamos legitimar preços altos."

Do total de investimentos até 2013, US$ 157,3 bilhões, ou 90% do montante, serão aplicados no Brasil; e 16,8 bilhões, ou 10%, no exterior. A área internacional vai investir US$ 16,8 bilhões , alta de 12% em relação aos US$ 15 bilhões do plano anterior.

"O ritmo permanece o mesmo, a gente já tinha uma carteira robusta. Os investimentos na América do Sul permanecem...vamos manter tudo o que estamos fazendo", disse o diretor internacional, Jorge Zelada, afirmando que novos projetos como exploração em Cuba já estavam previstos.

De acordo com Gabrielli, do investimento total para o período 2009-2013 cerca de US$ 120 bilhões serão investidos com caixa próprio e o restante será captado no mercado.

O total destinado à exploração e produção, incluindo a camada pré-sal, foi projetado em US$ 104,6 bilhões entre 2009 e 2013, contra US$ 65 bilhões do plano anterior.

O segmento de Abastecimento teve seus investimentos elevados para US$ 43,4 bilhões, 46%  de aumento na comparação com o plano anterior. A área de gás e energia teve alta de 76%  nos investimentos em relação ao último plano, pulando para US$ 11,8 bilhões.

A Petroquímica passou de US$ 4,3 bilhões para US$ 5,6 bilhões e a de biocombustíveis de US$ 1,5 bi para US$ 2,8 bilhões . Já a área corporativa teve seus investimentos elevados em 28%, para US$ 3,2 bilhões.

Produção no pré-sal


De acordo com anúncio na sede da estatal, no Rio de Janeiro, Gabrielli disse que o plano prevê que a produção no Brasil alcance 3,3 milhões de barris de óleo equivalente por dia em 2013, 4,1 milhões de boe/d em 2015 e 5,1 milhões de boe/d em 2020.

A estimativa de produção de óleo e gás da Petrobras no Brasil e no exterior somados para 2013 é de 3,6 milhões de boe/d.

A meta de produção de óleo para o pré-sal em 2013 é de 219 mil barris por dia, 582 mil bpd em 2015 e 1,815 millhão de bpd em 2020.

"Além do Sistema Piloto de Tupi, que iniciará produção em 2010, estão previstos para o período três sistemas para produzir no pré-sal da Bacia de Santos, sendo Tupi 1 e Guará 1 em 2012 e Iara 1 em 2013", informou a empresa em comunicado.

Gabrielli informou que os investimentos em Guará e Iara foram antecipados para 2013 e 2014 e que a exploração no Parque das Baleias será intensificada. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.