Tamanho do texto

BRASÍLIA - A entrada de investimentos externos diretos (IED) líquidos no país foi de US$ 45,060 bilhões no ano passado completo, montante recorde e superior àquele previsto pelo Banco Central (BC) para o período, de US$ 40 bilhões. Na relação com o Produto Interno Bruto (PIB), o IED fechou equivalente a 2,84%.

Em 2007, houve ingresso de US$ 34,585 bilhões (2,59% do PIB). Conforme nota do BC, o resultado de US$ 45,060 bilhões em 2008 foi o mais elevado na série história, iniciada em 1947.

Em dezembro apenas, foi registrada entrada de US$ 8,117 bilhões em investimentos externos diretos, melhor do que os US$ 886 milhões apurados em igual mês de 2007.

O forte ingresso de IED em dezembro foi gerado por uma grande operação no segmento de mineração, segundo o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes.

Em dezembro, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) vendeu 40% da subsidiária Namisa para uma companhia formada por acionistas japoneses. A venda somou US$ 3,08 bilhões, segundo comunicado da CSN enviado à Bolsa de Valores de São Paulo.

Altamir observou que esses recursos ingressaram no País pelo negócio, mas saíram em seguida em um investimento da mesma companhia no exterior. Isso fez com que o Investimento Brasileiro Direto (IBD) somasse US$ 3,148 bilhões em dezembro.

Apesar de destacar a operação no segmento de mineração, o chefe do departamento econômico observou que o IED teve "números surpreendentes" em dezembro. Segundo ele, a entrada de US$ 8,117 bilhões foi o segundo melhor resultado mensal da série histórica desde 1947, perdendo apenas para julho de 2007, quando o IED somou US$ 10,3 bilhões.

Os dados levam em conta também os empréstimos intercompanhias, aqueles feitos pela matriz da multinacional para a subsidiária brasileira. Além disso, abatem as remessas feitas por conta de ganho do capital investido.

Do total ingressado em 2008, US$ 30,064 bilhões foram participação no capital. Foram contabilizadas também entradas líquidas de US$ 14,996 bilhões em empréstimos intercompanhias.

Os investimentos diretos de companhias brasileiras no exterior (IBD) somaram US$ 20,457 bilhões. Um ano antes, as saídas ficaram em US$ 7,067 bilhões.

(Com informações da Agência Estado e Valor Online)

Leia mais sobre balanço de pagamentos