RIO - O aumento do investimento e o crescimento do consumo das famílias foram as principais alavancas do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro no terceiro trimestre pela ótica da demanda. A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) cresceu 19,7% no terceiro trimestre na comparação com igual trimestre do ano anterior, atingindo o recorde da série histórica, iniciada em 1996.

Os investimentos foram puxados pela importação de máquinas e equipamentos, pela produção nacional e pela construção civil, esta última com aumento de 11,7% no terceiro trimestre, em mais um recorde da série.

" O grande destaque foi a construção civil, beneficiada pelo crédito ligado à habitação, pelas obras públicas e pelo calendário eleitoral " , frisou Rebeca Palis, gerente de contas trimestrais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Já o Consumo das Famílias subiu 7,3% frente ao terceiro trimestre do ano passado, igualando o melhor resultado da série, que havia ocorrido no primeiro trimestre de 1997. Neste quesito, o principal impulso veio da massa salarial real, que subiu 10,6% no trimestre, depois de uma alta de 8,1% no segundo trimestre.

Entre os principais produtos consumidos pelas famílias, Rebeca destacou veículos automotores, calçados e vestuário.

O contínuo crescimento do crédito também foi apontado pela representante do IBGE como responsável por parte do crescimento, tanto de investimentos, quanto do consumo das famílias.

Em relação ao saldo das operações de crédito para pessoas físicas no terceiro trimestre, houve elevação de 29,6% no comparativo com igual período do ano passado.

O impulso aos investimentos veio do aumento de 42,1% do crédito de recursos livres para pessoas jurídicas, enquanto as operações de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) cresceram 23,1%, mesmo em um período em que a taxa de juros básica média da economia brasileira pulou de 11,5% ao ano no terceiro trimestre de 2007 para 12,9% no terceiro trimestre deste ano.

Ainda do lado da demanda, o Consumo do Governo avançou 6,4% no terceiro trimestre, enquanto as Exportações de Bens e Serviços cresceram 2% e as Importações de Bens e Serviços ampliaram-se 22,8% no terceiro trimestre em relação ao terceiro trimestre do ano passado. O PIB brasileiro cresceu 6,8% nesta comparação.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.