Os investimentos da Petrobras em 2010 podem ficar na casa dos R$ 85 bilhões, disse ontem a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que preside o conselho de administração da estatal. O volume é 37% maior do que a média anual prevista no plano de negócios da companhia, anunciado no ano passado.

O documento, que está sendo revisado, projeta aporte de US$ 174,4 bilhões entre 2009 e 2013.

Ao fim do terceiro trimestre do ano passado, o diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, havia afirmado que já em 2009 os investimentos totais seriam superados. O volume investido no ano passado será conhecido no balanço financeiro da companhia, que deve ser divulgado no dia 19.

O valor do investimento foi citado pela ministra em comentário sobre o crescimento da empresa ao longo dos últimos anos. "Eu tive a honra de ser convidada pelo presidente Lula para ser a presidente do conselho da companhia desde meu primeiro dia no governo e pude acompanhar essa evolução. A Petrobras não estava bem colocada e saltou para a segunda colocação no mundo", comentou Dilma, em discurso durante evento para a assinatura de contratos para a realização de obras no Complexo Petroquímico do Rio (Comperj).

Ela destacou diretamente a conduta do presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli (ausente no evento), como fundamental para que esse salto ocorresse. "Isso não aconteceu nem por acaso nem por sorte. A posição de política firme do presidente da Petrobras definiu que a companhia primeiro ia contratar no Brasil todas as máquinas que pudesse. Uma plataforma custa mais de US$ 2 bilhões. Esses US$ 2 bilhões eram contratados lá fora, e com eles todos os empregos que poderiam ser gerados aqui."
PRÉ-SAL
Se confirmados os planos de investimentos de R$ 85 bilhões para este ano e considerando esse valor como média anual para o Plano de Negócios da companhia para 2010-2014, os atuais US$ 174,4 bilhões teriam um salto de 35%, para algo em torno de US$ 230 bilhões. No mercado, é praticamente consenso que o novo plano da companhia vai abrigar investimentos superiores a US$ 200 bilhões para um período de cinco anos.

Além dos investimentos superiores a US$ 60 bilhões nas refinarias que serão construídas no Rio de Janeiro e no Nordeste, o novo plano também deverá elevar significativamente o volume de investimentos destinados ao pré-sal. Os valores ainda não têm nenhuma estimativa de analistas. Pelo atual plano, há uma projeção de US$ 111 bilhões até 2020.

O novo plano de investimentos da Petrobras seria divulgado até o fim do primeiro trimestre, mas a estatal aguarda a aprovação do novo marco regulatório no Congresso Nacional. Agora, a companhia trabalha com o primeiro semestre como prazo, já que espera também uma melhor definição sobre o seu processo de capitalização.

Segundo afirmou recentemente o diretor financeiro da empresa, se a capitalização ocorrer até meados do ano, a Petrobras não precisará tomar o financiamento de R$ 20 bilhões disponibilizados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para cumprir seu programa de investimentos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.