SÃO PAULO - Depois de perder 3,62% em dois dias, a Bolsa de Valores de Valores de São Paulo (Bovespa) recupera-se nesta quarta-feira. Por volta das 12h40, o Ibovespa tinha valorização de 1,19%, alcançando 41.

697 pontos, com giro financeiro em R$ 725 milhões.

O gerente de operações da UM Investimentos, Rodrigo Silveira, comenta que, como ontem, o foco segue voltado para o secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner, que agora dá explicação de seu plano para o setor financeiro ao Congresso americano.

Ontem, os investidores não perdoaram a falta de clareza e de medidas práticas e, em um sinal de desaprovação, derrubaram as bolsas ao redor do mundo.

A maior incerteza paira sobre o funcionamento do fundo público-privado voltado à ativação do crédito. Para alguns especialistas, esse instrumento poderá funcionar como o esperado " bad bank " , limpando a carteira dos bancos dos ativos podres.

Dado esse compasso de espera, Silveira aponta que ainda não é possível afirmar que o Ibovespa manterá desempenho positivo durante todo o dia. Os agentes ainda estão bastante retraídos e sinal disso é o baixo volume financeiro.

Em Wall Street, o dia começou de forma positiva, com o Dow Jones subindo 0,88%, tentando retomar os 8 mil pontos. A bolsa eletrônica Nasdaq ganhava 0,76%.

No âmbito corporativo, o gerente chama atenção para o acentuado fluxo comprador direcionado aos papéis da Petrobras. A ação PN da estatal subia 1,66%, a R$ 27,50. Ainda de acordo com Silveira, é possível observar uma troca de posições, com realização em ativos da Vale e compra de papéis da Petrobras. Já o ativo PNA da mineradora ganhava 0,71%, a R$ 31,11.

Entre os bancos, Bradesco PN tinha alta de 0,86%, a R$ 22,26, e Itaú PN subia 1,01%, a R$ 25,00. No setor siderúrgico, Gerdau valorizava 1,38%, a R$ 16,12.

Destaque de alta para o papel PNB da Cesp, que sobe forte pelo segundo dia em meio a renovados rumores de que o governo no Estado de São Paulo retomará a privatização da elétrica. O ativo tinha alta de 4,14%, saindo a R$ 14,07.

O papel PN da NET subia 5,37%, a R$ 14,91, mesmo depois de a operadora de TV, internet e telefonia verificar prejuízo líquido de R$ 91 milhões no quarto trimestre. Silveira comenta que os agentes não olham para o prejuízo, mas para o crescimento operacional da companhia, que superou o esperado.

Brasil Telecom Part PN subia 1,91%, cotado a R$ 14,39. Ontem, a companhia divulgou lucro de R$ 115,3 milhões para o último trimestre do ano passado, montante 41,7% menor em relação ao mesmo período de 2007. Na avaliação da Brascan Corretora, o resultado foi negativo, mas o papel tem reação distinta, pois está mais atrelado à operação de compra pela Oi/Telemar.

Na ponta vendedora, VCP PN caía 1,66%, a R$ 13,00. Cosan ON perdia 0,90%, a R$ 10,95, e América Latina Logística unit desvalorizava 1,42%, a R$ 8,99.

No mercado de câmbio, o dólar muda de direção e passa a perder valor ante o real. Depois de bater R$ 2,304 na máxima da manhã, o dólar caía 0,52% para R$ 2,272 na venda. No mercado a perda é mais acentuada, o dólar para março desvalorizava 1,91%, a R$ 2,282.

Nesta tarde, o Banco Central (BC) fará leilão de venda de dólares com compromisso dos agentes de utilizar a moeda para gerar financiamento à exportação. O valor total pode chegar a US$ 1 bilhão. Esse tipo de intervenção não tem efeito na formação de taxa nem nas reservas da instituição, pois os dólares são recomprados pelo BC.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.