Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Investidor volta à realidade da economia e Bovespa cai 6%

SÃO PAULO (Reuters) - Alinhada com os mercados internacionais, que voltaram à realidade da desaceleração econômica global para justificar uma realização de lucros, a Bolsa de Valores de São Paulo afundou, arrastada pelas ações de bancos e pela queda das commodities. O Ibovespa, principal índice da praça doméstica, perdeu 6,13 por cento, para 37.785 pontos. Os negócios do pregão movimentaram 4,5 bilhões de reais.

Reuters |

Após seis dias de rali patrocinado por sinais de arrefecimento da crise financeira, a divulgação de novos dados decepcionantes da economia incentivou os investidores no mundo todo a fazer uma pausa no otimismo.

O principal deles foi um índice mostrando que o setor privado dos Estados Unidos cortou 157 mil empregos em outubro, mais que o esperado por economistas, inspirando previsões preocupantes para um indicador de emprego que será divulgado pelo governo na sexta-feira.

Em Wall Street, esse panorama acabou ofuscando o fim da eleição presidencial norte-americana, definida durante a madrugada, que confirmou a vitória de Barack Obama. No momento do fechamento da Bovespa, o índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, cedia 3,8 por cento.

"Os investidores tomaram um banho de realidade", disse Jayme Alves, analista da corretora Spinelli.

Por aqui o setor financeiro, que havia disparado no começo da semana após o anúncio de fusão que deu à luz o Itaú Unibanco, agora o maior conglomerado brasileiro do setor, foi o mais castigado.

Unibanco teve um dos piores desempenhos no índice, despencando 10,9 por cento, para 14,14 reais, mesmo depois ter tido rating colocado em perspectiva positiva pela Fitch. Itaú murchou 8,8 por cento, a 25,91 reais.

Diante da forte correção de matérias-primas como petróleo e metais, os investidores não perdoaram as blue chips domésticas. Petrobras teve baixa de 3,4 por cento, a 24,25 reais. Vale cedeu 7,03 por cento, a 25,77 reais.

BALANÇOS POLPUDOS NÃO SALVAM AÇÕES

Nem mesmo companhias que agradaram analistas com resultados acima das expectativas ficaram de fora. Gerdau caiu 10 por cento, para 13,98 reais, depois de reportar lucro líquido de 1,42 bilhão de reais no período, 37,2 por cento maior do que no mesmo período do ano passado.

TIM Participações encolheu 8,25 por cento, vendida a 2,89 reais. A operadora de telefonia celular conseguiu passar de prejuízo para lucro no trimestre, com melhora das margens.

"Os investidores ficaram mais atentos aos sinais de redução na produção de grandes corporações, como a própria Gerdau e a Arcelor", disse Alves.

Se quem teve números positivos não conseguiu proteger as ações do movimento negativo, melhor não fez quem piorou seus resultados. Foi o caso de Braskem, que desabou 6,4 por cento, para 8,48 reais. A petroquímica passou de lucro para prejuízo, atingida pelos efeitos da valorização do dólar sobre o real.

(Edição de Alexandre Caverni)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG