Os principais índices do mercado de ações dos Estados Unidos fecharam em queda nesta quarta-feira e puxaram para baixo seus pares mundo afora. O mau desempenho foi explicado por uma rodada de indicadores mais fracos que o previsto, um dia antes da divulgação dos dados sobre o Produto Interno Bruto (PIB) do país no terceiro trimestre.

O Índice Dow Jones, o mais tradicional da Bolsa de Nova York, caiu 1,21%, para 9.762 pontos, menor nível desde 7 de outubro. A bolsa eletrônica Nasdaq perdeu 2,67%. O Índice S&P 500, que reúne as principais indústrias americanas, fechou em queda de 1,95%. Em Londres, o Índice FTSE caiu 2,32% e, em Paris, o CAC 40 baixou 2,14%. A Bolsa da Cidade do México deslizou 2,19% e o Índice Merval, de Buenos Aires, 6%.

A Alcoa e a Caterpillar registraram as perdas mais acentuadas entre os componentes do índice Dow Jones, recuando, respectivamente, 6,87% e 3,99%, diante de receios sobre o vigor da economia mundial.

Os três índices caíram acentuadamente nesta semana, em meio ao aumento na volatilidade do mercado. Desde a última quinta-feira, o índice de volatilidade VIX subiu mais de 30%, incluindo um ganho de 12% nesta quarta-feira.

Pela manhã, o Departamento do Comércio dos EUA informou que as encomendas de bens duráveis subiram 1% em setembro, ante expectativa de alta de 1,5%. A instituição divulgou também que as vendas de imóveis residenciais novos caíram 3,6% em setembro, contrariando a projeção dos analistas, que previam aumento de 2,6%.

A sessão de ontem mostrou que houve a "percepção de que a economia não está tão forte quanto o mercado de ações queria que estivesse", disse Beth Lilly, gerente de Carteiras de Investimento do Gabelli Woodland Small Cap Value Fund. "O mercado está refletindo, finalmente, o que as empresas vêm dizendo há algum tempo: que as coisas estão difíceis e a recuperação será lenta."
Operadores afirmaram que o foco do mercado voltará aos indicadores econômicos, após ter ficado por algumas semanas estacionado sobre os resultados corporativos.

Alguns investidores destacaram que o retrocesso repentino nos índices e o aumento na volatilidade não indicam necessariamente que haja uma correção em andamento. Segundo um deles, o que ocorre é que algumas das ações que registraram ganhos acentuados nos meses anteriores estão devolvendo parte dessa alta. A Caterpillar, por exemplo, é o componente do índice Dow Jones que mais avançou nos últimos três meses, a uma taxa de 27%, seguida pela American Express, com um ganho acumulado de 25%.

Para David Klaskin, executivo-chefe de investimentos da Oak Ridge Investments, as ações estarão ainda mais valorizadas daqui a seis meses do que estão agora. "O avanço, no entanto, certamente será menor daqui para frente." As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.
DOW JONES NEWSWIRES

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.