Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Instituto prevê que Brasil crescerá 1,5% e México e Argentina terão recessão

Washington, 18 dez (EFE).- O Instituto de Finanças Internacionais (IIF, na sigla em inglês) previu hoje que o Brasil somente 1,5% em 2009, enquanto Argentina e México entrarão em recessão, devido à piora das condições econômicas em nível mundial.

EFE |

Segundo a maior instituição de bancos do mundo, o Produto Interno Bruto (PIB) do México se contrairá 0,5% no próximo ano e o da Argentina, 0,4%.

A América Latina, em seu conjunto, cairá em uma média de 1% em 2009, o que significará uma queda drástica em relação aos 4,5% com os quais fechará este ano, segundo seus cálculos.

As previsões do IIF são mais pessimistas do que os do Fundo Monetário Internacional (FMI), que normalmente são consideradas na hora de elaborar previsões de crescimento conservadoras.

No entanto, as condições econômicas em nível mundial pioraram desde o início de novembro, quando o FMI divulgou seus cálculos, devido aos sinais claros de recessão nos EUA e na Europa.

O IIF previu um ano difícil para todos, no qual o PIB mundial cairá pela primeira vez na história recente, em 0,4%.

A zona do euro perderá 1,5% de seu PIB; os Estados Unidos, 1,3%; e o Japão, 1,2%; segundo seus cálculos.

No entanto, o IIF aplicou as maiores reduções das previsões de crescimento nos mercados emergentes.

A China, por exemplo, expandirá sua atividade econômica em 2009 em 6,5%, quase a metade do que em 2007, enquanto Rússia e Turquia entrarão em recessão.

A Venezuela crescerá somente 0,7%, enquanto Peru e Colômbia irão melhor, tendo 3,8% de aumento no PIB.

"Esta é a recessão simultânea global mais grave da história econômica moderna", declarou em entrevista coletiva Charles Dallara, diretor-gerente do IIF.

Ele pediu mais intervenções estatais para resgatar a economia e um maior grau de coordenação em nível mundial. EFE cma/jp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG