SÃO PAULO - A Inglaterra e a Alemanha também vão investigar o Goldman Sachs, depois do processo aberto pelo órgão regulador do mercado financeiro dos EUA (a SEC, na sigla em inglês) contra o banco de investimentos. Ontem, o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, requereu à agência reguladora britânica, a Autoridade de Serviços Financeiros (FSA, na sigla em inglês), que abra uma investigação especial sobre a instituição americana.

SÃO PAULO - A Inglaterra e a Alemanha também vão investigar o Goldman Sachs, depois do processo aberto pelo órgão regulador do mercado financeiro dos EUA (a SEC, na sigla em inglês) contra o banco de investimentos. Ontem, o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, requereu à agência reguladora britânica, a Autoridade de Serviços Financeiros (FSA, na sigla em inglês), que abra uma investigação especial sobre a instituição americana. Depois das notícias de que o Goldman Sachs planeja pagar até US$ 5,3 bilhões aos seus executivos pelo trabalho realizado somente no primeiro trimestre de 2010, Brown comentou que o banco tem uma"moral fraudulenta". A FSA, por sua vez, afirmou nesta segunda-feira que já está analisando o caso e suas implicações para o sistema financeiro britânico."Nós trabalhamos próximo às instituições reguladoras internacionais e cooperaremos completamente com a investigação da SEC", afirmou a instituição. Na Alemanha, o órgão regulador afirmou em nota que pediu informações à SEC e uma revisão de fatos, antes de decidir que ações tomar. As autoridades alemãs disseram que estão verificando ainda possibilidade de conseguirem uma compensação financeiras do banco de investimentos. O ministério das finanças do país afirmou que a instituição reguladora alemã está analisando o caso para, talvez, entrar com ação pelas perdas do banco alemão IKB Deutsche Industriebank, já que a SEC informou que a instituição perdeu cerca de US$ 150 milhões em investimentos administrados pelo Goldman Sachs. (Vanessa Dezem | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.