O financiamento de empréstimos-ponte para a infra-estrutura será o uso prioritário dos R$ 10 bilhões extras para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciados na semana passada pelo governo. Com isso, a instituição poderá financiar até 90% dos investimentos em leilões de infra-estrutura, sendo até 70% pelo empréstimo principal, nas condições do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) - Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) e mais até 20% como empréstimo-ponte, a juros de mercado.

Os R$ 10 bilhões "provavelmente" virão do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal para o BNDES, dispensando a emissão de títulos do Tesouro, informou o presidente do banco de desenvolvimento, Luciano Coutinho. Desse total, R$ 4 bilhões já estão certos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.