Tamanho do texto

SÃO PAULO - A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) anunciou que irá instalar sistemas de rede sem fio gratuita em 12 dos aeroportos que administra no Brasil. Os sistemas, que permitirão o acesso sem fio à internet, começam a funcionar em dezembro deste ano e custaram R$ 1,1 milhão em investimentos.

Os aeroportos que receberão o sistema inicialmente serão os de Guarulhos e Congonhas (SP), Galeão e Santos Dumont (RJ), Brasília (DF), Confins (MG), Salvador (BA), Recife (PE), Manaus (AM), Belém (PA), Curitiba (PR) e Porto Alegre (RS).

Além da internet gratuita a passageiros, a infra-estrutura da Infraero também poderá ser oferecida a companhias aéreas, lojas e outras empresas presentes nos aeroportos. Nesse caso, elas poderão utilizar o sistema da Infraero para a implantação de redes locais de dados.

Segundo a estatal, o objetivo é implantar o sistema em todos os 67 aeroportos que administra no país. Apenas em 2009, mais 20 terminais receberão os equipamentos necessários para o fornecimento do serviço.

"Os aeroportos já se preparam para a alta estação e, sem dúvida, esse é um dos serviços que facilitam a vida de quem estiver embarcando, fazendo conexões ou simplesmente transitando pelos nossos aeroportos", afirmou o presidente da estatal, Sergio Gaudenzi. "Para o final do ano, estamos prevendo novamente um período de tranqüilidade, como foi o último", acrescentou.

Ainda de acordo com a Infraero, o sistema que será implantado nos aeroportos tem alto grau de segurança e capacidade para detectar pontos de acesso intrusos. Além de detectá-los, o sistema permite anular seu acesso controlando as potências dos pontos autorizados.

Além do serviço de internet grátis, a rede sem fio permitirá maior controle de bens nas dependências do aeroporto, notadamente bagagens, que poderão ser equipadas com etiquetas eletrônicas que emitem sinais de rádio (RFID) para facilitar seu rastreamento. Cada um dos aeroportos será equipado com uma antena com capacidade para suportar até 45 operadoras.

(José Sergio Osse | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.