A taxa anual de inflação na zona do euro (15 países europeus que compartilham a moeda) medida pelos preços ao consumidor desacelerou em agosto para 3,8%, de 4% em julho, informou hoje a agência oficial de estatísticas Eurostat. Economistas esperavam um declínio para 3,9%.

Trata-se da primeira queda na taxa de inflação no varejo desde março, mas continua acima da meta do Banco Central Europeu (BCE), de pouco abaixo de 2%.

Emprego

Já a taxa de desemprego sazonalmente ajustada na região se manteve em 7,3% pelo quarto mês consecutivo em julho, informou a Eurostat. Economistas também não esperavam mudança na taxa.

A taxa de desemprego na Alemanha, a maior economia da zona do euro, caiu para 7,3% em julho, de 7,4% em junho. Na França, a segunda maior economia da região, a taxa também recuou, de 7,5% para 7,3%. Já na Espanha, a taxa de desemprego aumentou para 11%, de 10,7% em junho, alcançando a maior taxa de desemprego da zona do euro.

Consumidor

O índice de confiança do consumidor nos 15 países da zona do euro melhorou em agosto, à medida que a preocupação com a alta dos preços diminuiu. A confiança do consumidor subiu para -19 em agosto, de -20 em julho, segundo pesquisa da Comissão Européia, braço executivo da União Européias (UE), contrariando expectativas de economistas de que continuasse em -20.

O índice que mede as expectativas dos consumidores para os preços caiu para 22 em agosto, de 30 em julho, refletindo a queda nos preços de petróleo e alimentos desde o fim de junho. Já o índice geral de sentimento econômico na zona do euro caiu para 88,8 em agosto, de 89,5 em julho. Economistas previam declínio para 89. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.