RIO - O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) aumentou 2% em julho, pouco mais do que a taxa registrada um mês antes, de 1,96%, refletindo um avanço mais marcado dos preços no atacado, especialmente dos produtos agrícolas. No acumulado do ano, o indicador subiu 8,64%. Em 12 meses, o acréscimo foi de 14,72%.

A alta de 2% do IGP-10 foi a maior taxa de inflação nesse tipo de indicador desde fevereiro de 2003, quando o IGP-10 apresentou elevação de 2,42%.

Pela mesma tabela, é possível notar que o Índice de Preços por Atacado (IPA) de julho, que subiu 2,54%, também registrou a maior taxa desde fevereiro de 2003, quando o IPA subiu 2,67%. Por sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de julho, que teve aumento de 0,65%, assumiu trajetória contrária à do IPA e do IGP-10, e registrou a menor taxa nesse tipo de indicador desde abril deste ano, quando o IPC-10 subiu 0,61%. Já o Índice Nacional de Custos da Construção (INCC) de julho, que subiu 1,50%, apresentou a menor taxa desde maio deste ano, quando o INCC-10 teve alta de 0,85%.

Os produtos agrícolas, que tinha avançado 2,62% no mês passado, registraram agora 4,66% de alta. Os produtos industriais, contudo, foram de 2,06% para 1,71%.

Dos três setores compreendidos pelo IPA, as Matérias-Primas Brutas apresentaram o crescimento mais expressivo, de 4,54%. Em seguida, vieram os Bens Intermediários (2,60%) e, por fim, os Bens Finais (0,66%). Em junho, esses percentuais corresponderam, respectivamente, a 2,64%, 2,36% e 1,65%.

Dos sete grupos componentes do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), seis verificaram abrandamento em suas taxas de variação, apontou a FGV em nota. O destaque coube ao ramo Alimentação, que passou de um acréscimo de 2,40% para 1,56% entre junho e este mês.

A fundação chamou a atenção para o comportamento dos itens hortaliças e legumes (10,28% para -1,42%), panificados e biscoitos (4,30% para 0,86%) e massas e farinhas (3,84% para 1,20%).

Dentro do Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), o indicador referente ao grupo Materiais caiu de 1,83% para 1,61%. Mão-de-Obra recuou de 3,69% para 1,40%, mas Serviços subiram para 1,48% frente ao 1,40% de junho.

O IGP-10 é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

Com informações da Agência Estado e do Valor Online

Leia mais sobre inflação

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.