RIO - O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou hoje que a inflação é uma das grandes preocupações do governo, mas garantiu que não há o risco de que ela saia do controle. Para Bernardo, a ação do Comitê de Política Monetária do Banco Central, que ontem elevou a Selic em 0,75 ponto percentual, mostra que a autoridade monetária vai ser como um zagueiro.

"O BC é como aquele zagueiro que sai da área para matar a jogada. Ao mesmo tempo que queremos preservar o crescimento da economia, nós consideramos que o pior inimigo é a inflação e temos que bater duro nela", disse o ministro, que participa de almoço promovido pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB).

De acordo com Bernardo, a orientação para combater com força a inflação parte do próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e a grande preocupação do governo com o aumento de preços é o risco de corrosão do poder de compra, que segundo ele, atinge primeiro a população de renda mais baixa.

Bernardo reconhece que o desafio do governo é manter a inflação sob controle sem comprometer o crescimento e ressalta que o avanço da economia não será ameaçado, assim como as metas de investimento na política industrial e na política agrícola. Questionado, o ministro disse que o governo também faz a sua parte ao cortar gastos, lembrando da decisão de aumentar em 0,5 ponto percentual a meta de superávit primário. O ministro frisou que a medida significará um corte de R$ 14,2 bilhões no Orçamento, o que, segundo ele, não é uma medida simples e que só foi conseguida depois de uma luta medonha dentro do governo.

"Os ministros se ressentem do fato de que estamos restringindo e apertando o orçamento deles", ressaltou Bernardo.

Leia mais sobre inflação

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.