Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Inflação dos alimentos pesa na feijoada

A inflação dos alimentos básicos pegou em cheio a feijoada. Os restaurantes que servem o mais popular dos pratos brasileiros já programam aumento de preços para repassar ao consumidor a alta de custos.

Agência Estado |

Enquanto a inflação ao consumidor subiu 5,96% em 12 meses até junho, os ingredientes da feijoada ficaram 24,46% mais caros no mesmo período, aponta levantamento especial da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

"Foi a maior variação no custo dos ingredientes desse prato em cinco anos", afirma o economista André Braz, responsável pela pesquisa. Em 12 meses até junho de 2003, a inflação da feijoada foi 35,96% e a inflação geral no mesmo período, de 16,12%. As variações foram calculadas a partir dos dados do Índice de Preços ao Consumidor Brasil (IPC) da FGV.

De uma cesta de 13 itens pesquisados, que inclui do arroz ao limão para a caipirinha, oito deles acumularam em 12 meses alta de preços superior à inflação. O líder foi o feijão preto, com elevação de 147,46%, seguido pelo arroz (44,37%), a carne seca (38,80%) e a costelinha (22,12%). Além dos grãos, os aumentos estão concentrados nas carnes.

Os restaurantes já sentiram o aumento de custos. A famosa feijoada do Bolinha, uma das mais tradicionais de São Paulo, deverá ter um reajuste de preço de 8% na próxima semana. O preço por pessoa, que hoje está em R$ 65 durante a semana, deve ir a R$ 70. Nos fins de semana, o preço deverá subir de R$ 76 para R$ 82, diz o proprietário da empresa, Paulo Affonso Paulillo.

"Estávamos aguardando alguma queda nos preços, mas do jeito que está vamos ter de aumentar." O restaurante serve quase mil pessoas por semana.

Entre os itens que mais subiram, ele aponta o pé e a orelha de porco. Em janeiro, o quilo de pé de porco estava em R$ 1,70 e hoje custa R$ 4,60, um aumento de 170%. No caso da orelha, a alta é de 230% no mesmo período. Paulillo diz que os frigoríficos afirmam que os preços subiram porque a carne suína está em alta no mercado internacional, puxada pelo aumento das exportações para países da Europa.

O restaurante Feijoada da Lana é outro que prepara reajuste de preços. Segundo a proprietária, Luiza Nowikow de Souza, a intenção é aumentar em R$ 2 por pessoa o preço da feijoada. De R$ 22 por pessoa, o preço vai subir para R$ 24 durante a semana. Nos fins de semana, de R$ 44 aumenta para R$ 46. "Vamos reajustar", diz ela. Além de aumentar preços, Luiza conta que está pensando em trocar de fornecedor para aliviar a alta de custos.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG