Tamanho do texto

Índice de Preços ao Consumidor-Semanal (IPC-S), medido pela FGV, apresentou variação de -0,17% na terceira prévia de agosto

O Índice de Preços ao Consumidor-Semanal IPC-S apresentou variação de -0,17% na terceira prévia de agosto. A taxa é 0,02 ponto percentual acima da registrada na última divulgação, quando houve deflação de 0,19%. É a nona parcial seguida em que o índice registra resultado negativo.

O indicador mede o custo de vida das famílias com renda mensal de 1 a 33 salários mínimos nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e Brasília.

Segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela Fundação Getúlio Vargas(FGV), o item hortaliças e legumes, cuja variação passou de -8,87% para -7,94%, foi a principal contribuição para o avanço registrado na taxa do grupo alimentação (-1,09% para -0,94%), classe de despesa que mais contribuiu para a aceleração da taxa do IPC-S.

Os itens calçados (0,23% para 0,37%), passagem aérea (-5,64% para -2,58%) e taxa de água e esgoto residencial (0,00% para 0,74%) contribuíram para acréscimo das taxas dos seguintes grupos: vestuário (-0,90% para -0,84%), educação, leitura e recreação (-0,10% para -0,05%) e habitação (0,20% para 0,23%).

Os decréscimos registrados nos itens: cigarro (1,36% para 0,72%), artigo de higiene e cuidado pessoal (0,28% para -0,06%) e seguro facultativo para veículo (0,57% para -0,63%) contribuíram para as desacelerações dos grupos despesas diversas (0,73% para 0,47%), saúde e cuidados pessoais (0,35% para 0,17%) e transportes (0,29% para 0,23%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.