Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Inflação do aluguel desacelera e é a menor desde dezembro

IGP-DI teve variação de 0,34% em junho; resultado é o menor desde dezembro de 2009, quando houve deflação de 0,11% nos preços

iG São Paulo |

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) variou 0,34%, em junho. Esse resultado é o menor desde dezembro de 2009, quando houve deflação de 0,11%. A alta registrada no mês de maio foi de 1,57%. O indicador acumula  alta de 5,48% no ano e de 5,07% em 12 meses.

O IGP-DI de junho foi calculado com base nos preços coletados entre os dias 1º e 30 do mês de referência. O índice calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) é utilizado como referência nos reajustes de tarifas públicas, contratos de aluguel e planos de saúde.

Entre os indicadores utilizados no cálculo do IGP-DI, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou variação de 0,43%. No mês anterior, a taxa de variação foi de 2,06%. O índice relativo a Bens Finais apresentou variação de -0,17%. No mês anterior, a taxa foi de -0,79%. Nesse grupo, a taxa de variação do subgrupo alimentos processados passou de -3,16% para -1,15%, sendo o principal responsável pela aceleração do grupo. O índice de Bens Finais, que resulta da exclusão de alimentos in natura e combustíveis, apresentou variação de -0,11%. No mês anterior, o resultado foi de -0,92%.

O índice do grupo Bens Intermediários apresentou taxa de variação de 0,22%. No mês anterior, o grupo assinalou elevação de 0,94%. O destaque de desaceleração ficou por conta do subgrupo materiais e componentes para a manufatura, cuja taxa de variação passou de 1,05% para 0,09%. O índice de Bens Intermediários, calculado após a exclusão de combustíveis e lubrificantes para a produção, apresentou variação de 0,20%. No mês anterior, a variação foi de 0,96%.

No estágio das Matérias-Primas Brutas, a taxa de variação recuou de 8,11%, em maio, para 1,57%, em junho. Os destaques no sentido descendente foram: minério de ferro (75,19% para 5,77%), leite in natura (5,37% para -2,00%) e suínos (3,10% para -3,43%). Em sentido oposto, vale mencionar: café (em grão) (-0,47% para 6,01%), laranja (-5,05% para 5,14%) e aves (-3,02% para -0,08%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou taxa de variação de -0,21%, abaixo da apurada no mês de maio, de 0,21%. Seis das sete classes de despesa componentes do índice apresentaram decréscimos em suas taxas de variação. As principais contribuições partiram dos grupos: alimentação (-0,34% para -1,32%) e habitação (0,65% para 0,29%). Na primeira classe de despesa, destacaram-se os itens: laticínios (1,57% para -1,65%), hortaliças e legumes (-5,80% para -8,02%) e adoçantes (-3,25% para -9,87%). Na segunda, os itens com maior influência sobre o resultado foram: tarifa de eletricidade residencial (1,78% para 0,51%) e taxa de água e esgoto residencial (1,04% para 0,00%).

Também apresentaram recuos em suas taxas de variação os grupos: vestuário (0,99% para 0,71%), educação, leitura e recreação (0,17% para 0,01%), saúde e cuidados pessoais (0,58% para 0,46%) e transportes (-0,18% para -0,21%). Nestes grupos, vale mencionar os itens: roupas (1,43% para 0,78%), cursos não formais (0,51% para -0,18%), medicamentos em geral (1,29% para 0,08%) e gás natural veicular (4,52% para -0,25%), respectivamente.

Em oposição à tendência do índice, o grupo despesas diversas registrou avanço de 0,36% para 0,60% em sua taxa de variação. Nesta classe de despesa, o item que mais sobressaiu foi cigarro (0,08% para 2,45%).

O núcleo do IPC registrou variação de 0,37%, em junho. Em maio, a taxa foi de 0,47%. Dos 87 itens componentes do IPC, 50 foram excluídos para o cálculo do núcleo. Destes, 25 registraram variações acima de 0,57%, linha de corte superior, e 25 apresentaram taxas abaixo de 0,07%, linha de corte inferior. Em junho, o índice de dispersão, que mede a proporção de itens com taxa de variação positiva, foi de 55,26%, ante 60,09%, em maio.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, em junho, taxa de variação de 1,09%, abaixo do resultado do mês anterior, de 1,81%. Dos três grupos componentes do índice, apenas mão de obra apresentou desaceleração, tendo a taxa recuado de 3,13%, em maio, para 1,30%, em junho. Em sentido inverso, a taxa do grupo Materiais e Equipamentos passou de 0,61% para 0,94%, enquanto o grupo serviços evoluiu de 0,57% para 0,71%.
 

Leia tudo sobre: Inflaçãocusto de vida

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG