Tamanho do texto

IGP-M registrou alta de 0,99% na primeira parcial do mês contra variação de 0,42% no mesmo período em agosto

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) registrou avanço de 0,99%, na primeira prévia de setembro. Para o mesmo período de apuração no mês anterior, a variação foi de 0,42%. A primeira prévia do IGP-M de setembro compreendeu o período entre os dias 21 e 31 do mês de agosto. A taxa acumulada desse indicador é usada no cálculo de reajuste nos preços dos aluguéis.

No ano, a taxa calculada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) acumula alta de 7,72% e de 7,60% em 12 meses. A FGV informou ainda os resultados dos indicadores que compõem a primeira prévia do IGP-M de setembro.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou variação de 1,44%, no primeiro decêndio de setembro. No mesmo período do mês de agosto, a taxa foi de 0,75%. A taxa de variação do índice referente a Bens Finais avançou de -0,50% para 1,33%. Contribuiu para este movimento o subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 0,04% para 4,22%. No estágio dos Bens Intermediários, a taxa de variação passou de 0,16% para 0,34%. A maior contribuição para esta aceleração partiu do subgrupo suprimentos, cuja taxa passou de 0,15% para 1,56%.

O índice referente a Matérias-Primas Brutas registrou variação de 3,17%. No mês anterior, a taxa foi de 3,31%. Os itens que mais contribuíram para a trajetória de desaceleração deste grupo foram: minério de ferro (16,92% para 4,98%), soja (em grão) (6,58% para 2,60%) e pedra britada (5,62% para -2,53%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou no período taxa de variação de 0,16%. No mesmo intervalo do mês anterior, a taxa foi de -0,40%. Cinco das sete classes de despesa componentes do índice registraram acréscimos em suas taxas de variação, com destaque para Alimentação (-1,58% para 0,01%). Nesta classe de despesa, as principais contribuições partiram dos itens: hortaliças e legumes (-9,60% para -2,60%), frutas (-3,68% para -0,61%) e carnes bovinas (0,16% para 1,71%).

Em contrapartida, os grupos Despesas Diversas (0,52% para 0,09%) e Transportes (0,22% para 0,13%) apresentaram desaceleração em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, cabe destacar os itens: cigarro (0,90% para 0,00%) e álcool combustível (6,57% para 0,54%), respectivamente.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou na primeira prévia de setembro taxa de 0,08%. No primeiro decêndio de agosto, a taxa foi de 0,27%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,08%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,36%. O índice que representa o custo da Mão de Obra apresentou variação de 0,08%, no primeiro decêndio de setembro. Na apuração referente ao mesmo período do mês anterior, o índice variou 0,19%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.