Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Inflação brasileira já supera meta anual do Governo

Rio de Janeiro, 8 out (EFE).- A inflação acumulada no Brasil até setembro chegou a 4,76%, superando a meta oficial para 2008 (4,5%) e muito superior à medida no mesmo período do ano passado (2,99%), informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

EFE |

A meta oficial admite uma margem de tolerância de dois pontos percentuais pelo que o índice anual pode chegar ao teto de 6,5%.

Segundo as últimas previsões do Banco Central, a inflação deste ano será do 6,0%. Os economistas dos bancos privados consultados pelo emissor calculam, por sua parte, que o Brasil fechará o ano com inflação do 6,4%.

O índice de preços em setembro foi de 0,26%, ligeiramente abaixo de agosto (0,28%) e acima do medido no mesmo mês do ano passado (0,18%), segundo os dados divulgados pelo IBGE.

A inflação mensal no Brasil vem caindo gradualmente desde maio, quando alcançou seu maior nível em três anos (0,79%) devido à alta dos preços dos alimentos.

O índice dos últimos 12 meses chegou a 6,25%, superior aos 6,17% medidos em agosto e mais de dois pontos percentuais acima dos 4,15% registrados de outubro de 2006 a setembro de 2007.

De acordo com o IBGE, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi pressionado em setembro especialmente pelo ítem de "comidas fora de casa", cujos preços aumentaram 1,39% e representaram 0,06 pontos percentuais da inflação do mês.

Os preços dos alimentos, que no primeiro semestre do ano pressionaram fortemente a inflação até chegar a seu maior nível desde 2003, registraram em setembro uma redução de 0,27%.

Os preços dos alimentos já tinham caído 0,18% em agosto.

Apesar desta deflação, os preços dos alimentos acumulam no ano uma alta de 9,29%, superior aos 7,20% registrados nos primeiros nove meses de 2007.

O índice de inflação oficial do Brasil, medido pelo IBGE desde 1980, estabelece a variação de preços em 11 das maiores cidades do país para as famílias com renda mensal de um a seis salários mínimos. EFE cm/jp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG