O Índice de Preços ao Produtor nos Estados Unidos (PPI, na sigla em inglês) caiu 0,9% em agosto, invertendo o rumo tomado um mês antes, de alta de 1,2%. Excluindo alimentos e energia, itens considerados voláteis, o indicador avançou 0,2% no mês passado após acréscimo de 0,7% em julho. Na comparação ante agosto de 2007, o núcleo do PPI saltou 3,6%, na maior alta anual do núcleo do índice em 17 anos (desde maio de 1991).

Acordo Ortográfico

 Foi o maior declínio mensal desde outubro de 2006, informou nesta sexta-feira o Departamento de Trabalho americano. Na comparação ante agosto do ano passado, o PPI subiu 9,6%.

Produtos

O declínio dos preços de energia e matérias-primas (commodities) contribuiu para a queda além do previsto nos preços ao produtor americano, em agosto ante julho.

No mês passado, os preços de energia caíram 4,6%, após terem subido 3,1% em julho, informou o Departamento de Trabalho dos EUA. Os preços de gasolina no atacado recuaram 3,5%.Os preços de alimentos, por sua vez, subiram 0,3% em agosto, liderados pelos ganhos em carne de porco e ovos.

Os preços de matérias-primas despencaram 11,9% em agosto, a maior queda em cinco anos. Os preços dos bens intermediários caíram 1%. As informações são da Dow Jones.

Varejo

As vendas no varejo dos EUA recuaram 0,3% em agosto, acompanhando queda de 0,5% um mês antes (número revisto). Muitos economistas previam crescimento. Descontando veículos, as vendas diminuíram 0,7% no mês passado. Em julho, tinham aumentado 0,3% (dado revisado).

Leia mais sobre a economia dos EUA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.