Tamanho do texto

Paris, 31 ago (EFE).- A inflação anualizada subiu um décimo no conjunto da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) por conta da evolução dos preços de energia e de alimentação, e ficou em 1,6%.

Paris, 31 ago (EFE).- A inflação anualizada subiu um décimo no conjunto da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) por conta da evolução dos preços de energia e de alimentação, e ficou em 1,6%. No mês, os preços de energia subiram 6,2%, e os da alimentação, 1,1%. Em junho, haviam tido aumento de 4,7 e 0,6 %, respectivamente, segundo indica o comunicado divulgado hoje pela OCDE. Se excluído o impacto da energia e dos alimentos, que são considerados elementos mais voláteis, o núcleo da inflação nos 31 membros do clube dos países desenvolvidos ficou em julho em 1,2%, um décimo a menos que no mês anterior. Por países, como vem sendo habitual, o Japão se manteve em situação de deflação, com uma queda anualizada de preços de 0,9% em julho, contra 0,7% em junho. No outro país da OCDE em deflação, a Irlanda, a queda do mês passado foi de 0,1%. A zona do euro teve em julho uma inflação anualizada de 1,7%, com alguns de seus membros abaixo dessa média, como Holanda (1,6%), Finlândia (1%) e Alemanha (1,2%), e outros, acima, como Espanha (1,9%), Bélgica (2,6%), Luxemburgo (2,5%) e, principalmente, Grécia (5,5%). Nos Estados Unidos, a inflação anualizada em julho foi de 1,2%; no Canadá, de 1,8%. EFE pi/dr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.