Bruxelas, 16 jul (EFE).- A inflação anual na zona do euro aumentou para 4% em junho, 0,3 ponto percentual acima da registrada em maio, segundo informações divulgadas hoje pelo Eurostat, o escritório estatístico da UE.

No conjunto da União Européia (UE), o Índice de Preços ao Consumidor Harmonizado (IPCH) anual foi de 4,3%, 0,3 ponto percentual a mais do que maio.

O aumento mensal da inflação em junho passado foi de 0,4% tanto na zona do euro como no conjunto dos 27 países da UE, indicam as informações do Eurostat.

Em um ano, a inflação nos países da zona do euro passou de 1,9% para 4%, e nos 27, de 2,1% para 4,3%.

Os Estados-membros com um avanço dos preços mais moderado nos últimos 12 meses foram Holanda (2,3%), Portugal e Alemanha (3,4% cada um).

Já os aumentos mais fortes foram registrados na Letônia (17,5%), na Bulgária (14,7%) e na Lituânia (12,7%).

Quanto à evolução dos diferentes componentes na zona do euro, o maior aumento de preços foi o de transportes (7,1%), o de alimentos (6,4%) e o de habitação (6,1%).

Aconteceu queda dos preços das comunicações (-1,6%) e foram registrados aumentos moderados em lazer e cultura (0,1%) e no vestuário (0,7%).

Por produtos, a maior contribuição ao aumento anual foi a dos combustíveis para transporte (0,69 ponto percentual), seguida dos combustíveis líquidos (0,40 ponto percentual) e do leite, do queijo e dos ovos (0,21 ponto percentual).

Os produtos que contiveram o aumento global foram o vestuário (queda de 0,20 ponto percentual) e os automóveis e as telecomunicações (queda de 0,18 ponto percentual cada).

Apenas em junho aconteceu um grande aumento de preços nos transportes (1,4%) e na habitação, nos hotéis e restaurantes (0,6%), enquanto o vestuário (queda de 0,7%) e as comunicações (queda de 0,1%) ficaram mais baratos. Por outro lado o lazer, a cultura e o ensino mantiveram-se estáveis.

A alta mensal se viu empurrada, sobretudo, pelos combustíveis para transporte (0,18 ponto percentual), combustíveis líquidos (0,06 ponto percentual) e serviços de hospedagem (0,03 ponto percentual).

Também contribuíram para conter o aumento mensal da inflação o vestuário (queda de 0,07 ponto percentual), as hortaliças (queda de 0,05 ponto percentual) e os aluguéis (queda de 0,02 ponto percentual). EFE rja/ab/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.