Tamanho do texto

Nova York, 1 ago (EFE) - A entidade IndyMac Bancorp recorreu à proteção oferecida pelo Capítulo 7 da Lei de Falência dos Estados Unidos frente aos credores, três semanas depois que o banco da entidade sofreu a intervenção das autoridades federais.

A Comissão de Valores Mobiliários americana (SEC, em inglês) informou hoje da notificação que tinha recebido no dia anterior dessa companhia, na qual comunicava a intenção de pedir de forma voluntária a proteção da instância judicial competente.

A entidade bancária iniciou na própria quinta-feira os trâmites correspondentes perante o Tribunal Federal de Falência em Los Angeles (Califórnia).

As companhias que optam por essa via buscam, em geral, liquidar ativos, segundo a imprensa especializada.

A empresa conta com ativos avaliados em entre US$ 50 milhões e US$ 100 milhões, um passivo de entre US$ 100 milhões e US$ 500 milhões e pouco menos de 50 credores, segundo documentos apresentados à Corte.

As autoridades americanas fecharam, em 11 de julho, o banco IndyMac, com sede em Pasadena (Califórnia), o qual ficou nas mãos da Corporação Federal Seguradora de Depósitos (FDIC, em inglês), devido aos graves problemas de solvência do qual sofria.

O IndyMac era um dos maiores fornecedores independentes de empréstimos hipotecários nos Estados Unidos e, nos últimos meses, tinha sofrido fortes perdas por causa do alto índice de inadimplência dos prestatários. EFE vm/db