Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Industriais dizem que Brasil tem reservas de gás para enfrentar crise

São Paulo, 11 set (EFE).- A Federação de Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) assegurou hoje que a indústria brasileira tem reservas suficientes de gás natural para enfrentar um eventual desabastecimento desse combustível devido à crise na Bolívia.

EFE |

A patronal mais influente do país afirmou em comunicado que "a interrupção do fornecimento de três milhões de metros cúbicos diários de gás natural por 72 horas não compromete a atividade industrial no Brasil".

"Neste momento, nossas reservas são suficientes para suprir as necessidades dentro da expectativa do prazo (de 72 horas) para a volta do abastecimento", acrescentou o texto.

O fornecimento de gás natural da Bolívia ao Brasil foi afetado parcialmente ontem e hoje pelos atos de violência registrados nesse país andino, que incluíram ataques a um gasoduto.

A Bolívia abastece mais da metade do mercado de gás natural do Brasil, através de um gasoduto de três mil quilômetros de comprimento, dirigido por uma empresa binacional, com capacidade para transportar 30 milhões de metros cúbicos por dia do combustível.

Esse gás atende a demanda de 60% do estado de São Paulo.

A Fiesp esclareceu, no entanto, que "assuntos de ordem interna na Bolívia, especialmente de caráter político", não serão comentados pela patronal em respeito à soberania boliviana.

O Ministério de Minas e Energia anunciou hoje que espera que o problema seja solucionado nas próximas 72 horas.

A Fiesp ressaltou que "espera que a normalidade seja restabelecida na Bolívia" e destacou "a importância que o fornecimento de gás natural para o Brasil representa para a economia" desse país. EFE wgm/bm/rr

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG