A produção industrial do Estado de São Paulo, que responde por cerca de 40% do que as fábricas produzem no País, teve forte retração em dezembro, segundo indica o Sinalizador da Produção Industrial (SPI). No mês passado, o SPI caiu 13,5% em relação a novembro, já descontadas as variações sazonais.

Foi a maior retração do indicador na série histórica iniciada em agosto de 2007.

Calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e pela AES Eletropaulo, o SPI é um indicador antecedente que sinaliza o desempenho da atividade industrial paulista. Ele leva em conta o consumo de energia para uso industrial, a evolução da taxas reais de juros e a produção industrial mensal.

"A produção industrial paulista sofreu um tombo em dezembro", afirma o pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da FGV, Paulo Picchetti. Ele explica que, em razão da alta dos juros, das deficiências na infraestrutura e do próprio ritmo acelerado da produção industrial, era esperada alguma desaceleração da indústria em dezembro. Ocorre, no entanto, que a retração foi exacerbada pela crise financeira, que afetou as indústrias, num primeiro momento, pela dificuldade de obter crédito.

Na análise de Picchetti, a queda na produção industrial paulista em dezembro só pode ser comparada com duas outras ocasiões: em 1995, quando houve a crise financeira asiática, e em 1998, por ocasião da crise financeira russa. No entanto, diz o economista, a magnitude da queda desta vez é mais forte. Além disso, a crise atual pegou a indústria num nível de crescimento maior comparado às crises anteriores. Por isso, o tombo foi maior.

Apesar do recuo do mês passado, Picchetti não acredita que novas quedas nessa magnitude se repitam nos próximos meses. "Dezembro será um mês atípico", prevê. Ele lembra que, no mês passado, várias empresas deram férias coletivas, especialmente a indústria automobilística que está concentrada no Estado de São Paulo e tem grande peso na produção industrial. "A parada em dezembro ocorreu para que as empresas avaliassem a nova conjuntura de produção e vendas."

O SPI também aponta retração de 12,6% na atividade da indústria paulista em dezembro na comparação com o mesmo mês de 2007, sem ajuste sazonal. Em novembro, esse mesmo indicador havia caído 2,7% em relação ao mesmo mês do ano anterior. No acumulado em 12 meses até dezembro, o SPI sem ajuste sazonal cresceu 5,4%. O mesmo indicador acumulado em 12 meses até novembro apontava alta de 7%. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.