Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Indústria paulista desacelerou antes dos efeitos da crise, diz Fiesp

SÃO PAULO - O ciclo de crescimento da atividade nas indústrias paulistas pode ter se encerrado ao fim do terceiro trimestre, antes mesmo que os efeitos da crise afetassem o o seu desempenho. Segundo cálculo da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o crescimento médio trimestral do Indicador de Nível de Atividade (INA) do setor mostra uma franca tendência de desaceleração ao final de setembro.

Valor Online |

" A indústria já não suportava as mesmas taxas de crescimento " , explicou Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo. Ele aponta que a média trimestral do INA, que mantinha-se estável na faixa de 2,3% desde o quarto trimestre de 2006, entrou em trajetória de queda no início de 2008 e atingiu a marca de 0,33% neste terceiro trimestre. Esses percentuais consideram a comparação trimestre a trimestre de valores dessazonalizados do INA.

" Esta queda não tem a ver com a crise " ressaltou Francini. " Os primeiros sinais da crise começaram a partir do dia 15 e, a esta altura, setembro era um mês já contratado. Portanto, não se vê sinais ou marcas de crise nesse período. "
Em relação à expectativa das entidades para o final do ano, Francini acredita que os efeitos mais contundentes da crise devem aparecer em 2009, e não neste ano. " Três quartos do ano já transcorreram. Mesmo que tenhamos um resultado ruim no último trimestre, não deve afetar muito o ano como um todo."
Apesar de o INA de setembro não mostrar os efeitos da crise sobre as indústrias paulistas, outro indicador divulgado hoje pela Fiesp, o Sensor, revela que acabou o otimismo que os empresários mantinham em relação a seus negócios desde meados de 2007. Entre setembro e outubro, o nível geral de expectativa recuou de 54,8 pontos para 50,4 pontos.

Neste mês, o Sensor indica que os empresários pioraram sua avaliação quando à situação das suas vendas, estoque, investimento e quanto à situação do mercado. O único componente da pesquisa que não piorou foi o de emprego, que manteve-se estável.

(Adilson Fuzo | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG