Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Indústria comemora reforço do BNDES

O aporte de R$ 100 bilhões no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) foi bem recebido pelas entidades que representam a indústria. A avaliação dos industriais é de que o reforço de caixa dará dinamismo à economia em um momento de crise.

Agência Estado |

 

Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e integrante do conselho de administração do BNDES, considerou "boa notícia" o anúncio do ministro da Fazenda, Guido Mantega. Mas disse que todo projeto que chega ao banco estatal tem por objetivo gerar emprego e ser lucrativo desde o momento que sai do papel.

"Não se trata de salvar empresas. O banco está lá para emprestar e a empresa que toma recursos do BNDES fica devendo, paga juros. É dinheiro empregado em projetos de fomento, que visam crescimento, empregos, lucro."

O fato de os recursos suplementares serem para infraestrutura, avalia Skaf, deve ser comemorado. "O Brasil precisa arrumar sua infraestrutura, porque as crises são passageiras e não podemos ter limitações quando o crescimento for retomado", disse.

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Armando Monteiro Neto, considerou "muito importante" a decisão do governo de colocar à disposição mais R$ 100 bilhões para o BNDES.

Ele interpreta a medida como uma tentativa do governo de substituir fontes externas de financiamento que "desapareceram" com a crise. "A iniciativa deve contribuir para melhorar o quadro em relação ao desemprego."

Na avaliação de Humberto Barbato, presidente da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), o pacote vai ajudar tanto as empresas que atuam em infraestrutura como também a indústria de bens de consumo. "O pacote é positivo, pois vai irrigar com crédito o setor de infraestrutura e deve restaurar a confiança do consumidor, na medida em que pode evitar novas demissões", diz Barbato. Ele diz que 48% das empresas do setor perderam encomendas em razão da crise. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Leia mais sobre BNDES

Leia tudo sobre: bndes

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG