Rio de Janeiro, 13 jan (EFE).- O nível de emprego na indústria brasileira caiu 0,6% em novembro em relação a outubro, como conseqüência da crise financeira internacional, sofrendo sua maior redução na comparação com o mês imediatamente anterior em cinco anos, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

O número de empregos na indústria não descia tanto desde outubro de 2003, quando a redução foi do 0,7% na comparação com setembro desse ano, de acordo com o IBGE.

De acordo com o órgão, em relação ao mesmo mês de 2007, o nível de emprego em novembro de 2008 foi 0,4% superior.

O aumento do número de empregos industriais acumulado nos primeiros 11 meses de 2008 ficou em 2,4%, abaixo dos meses anteriores (2,6% em outubro e 2,7% em setembro).

Diante da restrição do crédito internacional, a queda da cotação das matérias-primas e a diminuição da demanda mundial para os produtos brasileiros, diversas empresas, principalmente dos setores automotor, siderúrgico e mineral, vêm anunciando demissões, redução da produção, diminuição da jornada de trabalho e férias coletivas obrigatórias.

Entre outros, a filial brasileira da General Motors (GM) anunciou na segunda-feira a demissão de 744 empregados da fábrica de São José dois Campos.

Além da redução do emprego industrial a crise também diminuiu o número de horas pagas em 1,7% entre outubro e novembro e o valor da relação do setor, em 2,7% no mesmo período.

Segundo o IBGE, isto foi resultado da redução pelo segundo mês consecutivo da produção industrial brasileira, que em novembro caiu 5,2% em relação a outubro, sua maior retração em 13 anos.

Com isso, a atividade das fábricas brasileiras acumulou uma retração de 7,9% entre setembro e novembro. EFE cm/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.