RIO DE JANEIRO (Reuters) - A produção da indústria brasileira cresceu 1,1 por cento em janeiro, recuperando-se de dois meses seguidos de queda que representaram um período de acomodação do setor. Sobre igual mês de 2009, a atividade saltou 16 por cento, no melhor janeiro desde 1995, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira.

Analistas consultados pela Reuters previam uma expansão mensal de 1 por cento e uma elevação anual de 16 por cento.

O IBGE revisou ligeiramente para cima o dado de atividade em dezembro, de uma queda inicialmente divulgada de 0,3 por cento sobre novembro para recuo de 0,2 por cento.

Em janeiro sobre dezembro, 14 dos 27 setores industriais tiveram crescimento da produção, com destaque para Produtos de metal (12 por cento), Material eletrônico e de comunicações (14,3 por cento) e Bebidas (8,1 por cento).

Entre as categorias de uso, três tiveram expansão --bens de consumo duráveis (8,6 por cento), bens intermediários (2 por cento) e bens de consumo semi e não duráveis (0,4 por cento)--, enquanto a produção de bens de capital caiu 0,1 por cento.

Na comparação com o ano passado, a produção aumentou em 23 dos 27 setores. O de Veículos automotores teve a maior alta, de 41,4 por cento, seguido por Máquinas e equipamentos (34 por cento) e Metalurgia básica (34,5 por cento).

Esses três setores foram fortemente abatidos pela crise mundial, fazendo com que mostrem recuperação, não só pela base de comparação de janeiro de 2009 como também pela tendência de retomada pós-turbulência.

Todas as categorias de uso tiveram expansão na comparação anual, lideradas por bens de consumo duráveis (36,4 por cento) e bens intermediários (20,2 por cento). Seguiram-se bens de capital, com avanço de 12,8 por cento, e bens de consumo semi e não duráveis, com 5,8 por cento.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.