Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Índices de NY fecham em alta mas devem perder mais de 30% no ano

SÃO PAULO - A ajuda financeira do governo americano à General Motors foi o destaque do dia e a razão maior para o pregão positivo em Wall Street. O ânimo dado pela iniciativa superou a influência negativa dos dados sobre a confiança do consumidor americano.

Valor Online |

O Dow Jones Industrial subiu 2,2% para 8.668,39 pontos. O Standard & Poor´s 500 avançou 2,4%, a 890,64 pontos. O Nasdaq Composite fechou em alta de 2,7%, para 1.550,7 pontos.

As bolsas nova-iorquinas ainda operam amanhã. De qualquer modo, o fechamento positivo de hoje pouco pôde fazer para reverter o quadro do ano inteiro. Em 2008, o Dow Jones perdeu cerca de 35%, o S & P 500 recuou quase 40% e o Nasdaq Composite caiu 42%.

Ontem à noite a GM anunciou que o Tesouro dos EUA vai aportar US$ 5 bilhões na GMAC, seu braço financeiro, e emprestar mais US$ 1 bilhão para a montadora. As ações da GM fecharam com avanço de 5,6% e contagiaram outras do setor, como as da Ford, que ganharam 3,2%.

Os investidores preferiram olhar para essa notícia, deixando um pouco de lado o Índice de confiança do consumidor nos EUA, calculado pelo instituto Conference Board, que caiu em dezembro ao pior nível desde 1967.

As ações das químicas Dow Chemical e Rohm & Haas recuperaram parte da queda de ontem, quando reagiram ao fato de o governo do Kuwait ter desistido de uma joint venture de US$ 17,4 bilhões com a Dow Chemical. A empresa esperava o dinheiro para financiar a compra da Rohm & Haas, anunciada em julho. Hoje, notícias publicadas na imprensa deram conta de que a Dow Chemical poderia usar um empréstimo-ponte para pagar a aquisição. Os papéis da Dow subiram 1,5% e os da Rohm & Haas ganharam 11,9%.

(Valor Online com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG