RIO DE JANEIRO (Reuters) - Após uma abertura em ligeira baixa, a Bolsa de Valores de São Paulo encerrou o pregão desta segunda-feira em forte queda, puxada pelo mau humor dos mercados externos. O Ibovespa fechou em queda de 3,87 por cento, aos 37.618 pontos. O volume negociado foi de 2,5 bilhões de reais, abaixo da média de novembro, que ficou em 3,8 bilhões de reais segundo dados da bolsa.

Sem índices relevantes para afetar o desempenho das negociações, o mercado brasileiro ficou ao sabor das bolsas norte-americanas, que operaram me baixa o dia inteiro puxadas principalmente pelas comodities, com destaque para a queda do preço do petróleo, de quase 6 por cento.

"Pesou lá fora e aqui foi junto, pesou a revisão de lucros de algumas empresas, como a Toyota, pesou rebaixamentos de mineradoras e aqui dentro ainda teve a Petrobras, que adiou o plano", avaliou o analista Gabriel Goulart, da corretora Mercatto.

A Petrobras informou na noite de sexta-feira, com os pregões fechados, que iria adiar o anúncio do seu plano de negócios 2009-2013 para janeiro. Nesta segunda-feira, os papéis preferenciais da companhia despencaram 5,18 por cento, para 22,14 reais a ação.

Para o analista da corretora SLW Pedro Galdi, o mercado deve permanecer volátil até o final do ano e com pouco volume.

"A partir de hoje começa a enfraquecer o mercado e as bolsas vão seguir voláteis, a entrada de Obama em janeiro talvez dê mais um pouco de confiança e melhore no início de 2009", disse Galdi, referindo-se à posse do presidente eleito dos EUA, Barack Obama.

A expectativa de Galdi é de que a Bovespa encerre 2008 próxima aos 40 mil pontos, o que daria uma perda de cerca de 30 por cento aos investidores no ano.

(Por Denise Luna)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.