SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) pode registrar um pregão de baixa nesta quinta-feira, com os investidores embolsando parte do ganho de 16,7% acumulado desde o começo da semana. A sinalização vem do mercado futuro, onde o Ibovespa com vencimento em dezembro caía 0,77%, para 36.

565 pontos.

Hoje, os investidores operam sem o principal referencial externo. Wall Street está fechada em função do feriado do Dia de Ação de Graças e isso deve reduzir o volume negociado por aqui. Amanhã, as bolsas norte-americanas operam, mas têm expediente mais curto.

Na Europa, os investidores seguem na ponta compradora. O setor financeiro é o destaque com ganhos também para as empresas de energia. Há pouco, o FTSE-100, da Bolsa de Londres, registrava valorização de 1,82%, enquanto o Xetra-DAX, de Frankfurt, ganhava 2,12%.

Na Ásia o dia acabou de forma positiva para a maioria dos mercados. Tóquio ganhou 1,95%, Seul avançou 3,27%. E na China, os investidores comemoraram o corte de 1,08 ponto percentual efetuado ontem na taxa de juros do país. Hong Kong ganhou 1,73% e Xangai subiu 1,05%.

Na Índia, os mercados financeiros não operaram depois dos ataques terroristas de ontem, que atingiram ao menos oito diferentes lugares em Mumbai, centro financeiro do país, deixando mais de 100 mortos.

No pregão de ontem, o dia começou com contorno de realização de lucros, mas os investidores seguiram comprando, deixando de lado uma série de dados negativos sobre a economia norte-americana. Parte do bom humor pode ser creditada ao corte de juros na China, que deu fôlego ao preço das commodities, e ao pacote de 200 bilhões de euros anunciado para os países da União Européia.

Depois de um começo de pregão instável, o Ibovespa fechou com alta de 4,76%, aos 36.469 pontos. O giro financeiro foi o maior em duas semanas, somando R$ 4,5 bilhões.

Em Wall Street, o Dow Jones resistiu às tentativas de realização de lucro e garantiu o quarto pregão consecutivo de alta. O índice subiu 2,91%, enquanto a bolsa eletrônica Nasdaq ganhou 4,60%.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.