Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Índice futuro opera em alta, sugerindo dia positivo na Bovespa

SÃO PAULO - A semana deve começar de maneira positiva na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Tal indicação é dada pelo mercado futuro, onde o Ibovespa com vencimento em fevereiro registrava valorização de 1,2%, para 40.

Valor Online |

280 pontos.

Hoje, os investidores brasileiros operam sem seu principal referencial externo. As bolsas em Wall Street não operam em função do feriado em honra de Martin Luther King. Os negócios retornam ao normal amanhã, com foco no discurso de posse do presidente Barack Obama. Há grande expectativa quanto às diretrizes econômicas e a implementação do plano de mais US$ 800 bilhões de estímulo à atividade.

A agenda do dia é pouco relevante, mas a semana reserva uma rodada de balanços trimestrais nos Estados Unidos e, por aqui, o foco recai sobre a decisão de juros do Comitê de Política Monetária (Copom). Segundo os analistas um corte maior do que o esperado deve estimular o posicionamento em ações. Hoje, atenção para o vencimento de opções sobre ações na Bovespa.

No mercado de câmbio, o dólar segue perdendo valor ante o real. Há pouco, a divisa era negociada a R$ 2,318 na venda, queda de 1,06%. Hoje o Banco Central começa a rolagem dos swaps cambiais que vencem em fevereiro. Estimativas apontam que as posições vincendas somam mais de US$ 10 bilhões.

Na Europa, a segunda-feira tem tom positivo com os principais mercados operando em alta. Atenção para o setor financeiro britânico. O governo anunciou novas medidas para socorrer os bancos, como a contratação de seguros contra perdas futuras com créditos podres e ativos de risco.

Há pouco, o índice FTSE-100, da Bolsa de Londres, apontava alta de 1,27%, enquanto o Xetra-DAX de Frankfurt ganhava 1,0%.

Ainda na Europa, a agência de classificação de risco Standard & Poor´s cortou a classificação de risco soberana de longo prazo da Espanha de AAA, para AA+, alegando fraqueza na estrutura da economia do país. O rebaixamento também é válido para instituições ligadas ao governo e reflete a expectativa da agência de que as finanças públicas sofrerão em função do menor crescimento econômico. Vale lembrar que a nota ainda está dentro da categoria grau de investimento.

Na sexta-feira, o governo norte-americano teve de fazer uma rodada de ajuda aos bancos. Foram destacados mais de US$ 400 bilhões para dar suporte ao Bank of America e ao Citigroup por meio de garantias a ativos.

A medida trouxe certo alívio para os mercados, pois as duas instituições vinham enfrentando rumores de nacionalização. Com mais esse apoio ao setor, os investidores voltaram a atuar na ponta compradora, garantindo alta de 0,84% para o Dow Jones e valorização de 1,16%, para o Nasdaq.

Por aqui, a sexta-feira também acabou de forma positiva, com ganho de 0,49% para o Ibovespa, que fechou aos 39.341 pontos. O giro ficou em 3,58 bilhões. Mas na semana o índice perdeu 5,39%.

Na Ásia, a semana começou com valorização nos principais mercados. Tóquio subiu 0,32%, e Seul ganhou 1,36%. Xangai e Hong Kong valorizaram 1,65% e 0,64%, respectivamente.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG