SÃO PAULO - Os índices futuros apontam para cima nesta terça-feira, sinalizando um pregão de recuperação na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) depois das perdas de ontem. Há pouco, o Ibovespa com vencimento em dezembro, contrato que vence amanhã, ganhava 1,40%, aos 38.

890 pontos.

Ganhos também no mercado futuro norte-americano, onde os investidores mantêm o otimismo à espera da decisão de juros do Federal Reserve (Fed), banco central norte-americano. Às 17h15, o comitê apresenta a nova taxa de juro e a previsão é de redução de 1% para 0,5% ao ano. A queda em si não tem muito impacto sobre a economia. Os agentes esperam, sim, alguma sinalização sobre outras medidas, como a injeção de dinheiro na economia.

Antes disso, os investidores acompanham a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) referente ao mês de novembro. É esperada nova deflação para o índice cheio e leve alta de 0,1% para o núcleo do indicador, que desconsidera alimentos e bebidas. Também são conhecidos os dados sobre a construção de novas moradias.

Merece atenção o setor financeiro, pois o Goldman Sachs apresenta seu resultado trimestral. A previsão é de prejuízo de US$ 3,5 por ação.

No mercado de commodities, o preço do petróleo avança no pregão eletrônico, recuperando parte das perdas de ontem.

Na Europa, o dia ganhou contorno positivo com a divulgação de indicadores de atividade.

Ontem, no Brasil, a instabilidade externa falou mais alto e puxou as vendas no fim do pregão. Com isso, o Ibovespa fechou a segunda-feira com perda 2,68%, aos 38.320 pontos. O giro financeiro somou R$ 5,16 bilhões, sendo R$ 1,54 bilhão referente ao exercício de opções sobre ações.

O mau humor refletia a falta de definição sobre os empréstimos para as montadoras e o surgimento de perdas relacionadas à fraude do ex-presidente da Nasdaq Bernard Madoff.

O esquema de Madoff, que administrava recursos de terceiros, consistia em uma espécie de pirâmide financeira, que envolvia grandes rentabilidades para os investidores antigos, pagas com o dinheiro dos investidores mais novos. Santander, Royal Bank of Scotland (RBS), BNP Paribas estão entre os afetados. O valor estimado do golpe é de até US$ 50 bilhões.

Em Wall Street, o Dow Jones recuou 0,75% e a bolsa eletrônica Nasdaq caiu 2,1%.

Na Ásia, a terça-feira acabou de forma positiva para a maioria dos mercados com exceção de Tóquio, que declinou 1,12%.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.