LONDRES - O principal índice de ações do mercado europeu terminou firme nesta terça-feira, mas bem abaixo das máximas verificadas durante um pregão marcado por intensa volatilidade. O índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais praças da região, subiu 0,18%, para 740 pontos, tendo variado entre 734 e 750 pontos durante o pregão.

Ações defensivas foram as que mais contribuíram para o avanço do indicador, conduzidas por empresas alimentícias e farmacêuticas. Danone, Nestlé, Sanofi-Aventis e Novo Nordisk ganharam entre 1,6% e 3,7%.

Na segunda-feira, o índice FTSEurofirst 300 subiu 3%, depois que os Estados Unidos anunciaram detalhes do plano de livrar os bancos de até US$ 1 trilhão em ativos tóxicos.

"Há uma crença geral... de que a alta na Europa está claramente exagerada", disse Peter Dixon, estrategista do Commerzbank. "É um ótimo momento para realizar lucros... se é um bom momento para se voltar aos mercados é um outro problema... Eu acho que os mercados estão muito caros nestes níveis", acrescentou ele.

HSBC despencou 7,1% em meio a preocupações sobre o crescimento econômico da Ásia depois que o Banco da China relatou um declínio de 58% no lucro do quarto trimestre.

BNP Paribas, Nordea Bank e Credit Suisse registraram desvalorização entre 3,7% e 7,4%. Na contramão, o Deutsche Bank saltou 4,5%.

Em Londres, o índice Financial Times fechou em baixa de 1,05%, a 3.911 pontos.

Em Frankfurt, o índice DAX ganhou 0,26%, para 4.187 pontos.

Em Paris, o índice CAC-40 subiu 0,17%, para 2.874 pontos.

Em Milão, o índice Mibtel encerrou em alta de 0,24%, a 12.709 pontos.

Em Madri, o índice Ibex-35 registrou valorização de 0,47%, para 7.989 pontos.

Em Lisboa, o índice PSI20 perdeu de 1,47%, a 6.215 pontos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.