A bolsa de Tóquio encerrou no maior patamar em três meses nesta quinta-feira, motivada pelo avanço das ações de companhias do setor automotivo em meio a perspectivas de que a economia norte-americana já atingiu o fundo do poço.

Os demais mercados acionários da Ásia também registraram valorização puxada principalmente pelos papéis dos setores financeiro e de matérias-primas.

As ações da Honda Motor dispararam quase 11 por cento, atingindo a máxima em mais de cinco meses. Já as da Toyota Motor saltaram 5,5 por cento, para o nível mais alto em quatro meses, com investidores apostando que a General Motors pode evitar uma eventual falência.

O índice Nikkei avançou 4,4 por cento, tendo acumulado ganhos de 15 por cento desde março. Refletindo uma tendência altista das ações do setor financeiro, o Mitsubishi UFJ Financial Group, maior banco do Japão, saltou 6,7 por cento, fornecendo um dos maiores estímulos ao indicador.

Às 8h05 (horário de Brasília), o índice MSCI, que reúne as principais ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, avançava 5,7 por cento, ganhando terreno pela terceira sessão consecutiva.

As vendas norte-americanas de automóveis em março ficaram dentro ou acima das previsões do mercado, alimentando uma esperança de que o pior possa já estar ficando para trás

"Os dados dos EUA continuam aparecendo melhores do que o previsto. Por outro lado, a incerteza sobre o destino das montadoras norte-americanas continua", disse Dariusz Kowalczyk, estrategista-chefe de investimentos da SJS Markets, em Hong Kong.

Relatórios mostrando que os Estados Unidos continuaram perdendo postos de trabalho nos últimos meses limitaram o otimismo sobre quando a demanda por exportações asiáticas deve se recuperar, contendo os ganhos das commodities.

A bolsa de SYDNEY ganhou 2,81 por cento, enquanto TAIWAN subiu 3 por cento e CINGAPURA ganhou 5,94 por cento.

As ações de XANGAI tiveram alta de 0,72 por cento e as de SEUL subiram 3,54 por cento. HONG KONG disparou 7,41 por cento.

Leia mais sobre: bolsas asiáticas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.