Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Índia estuda aliviar restrições à importação de açúcar

Nova Deli, 5 - A Índia pode diminuir em março as restrições à importação de açúcar por causa da expectativa de queda na produção em 2009. Segundo autoridades da indústria, há pouca opção a não ser afrouxar os controles sobre as importações, já que as estimativas de produção para o ano-safra que termina em setembro devem ser reduzidas ainda mais, para 18 milhões a 18,5 milhões de toneladas, porque importantes Estados produtores estão esperando uma produtividade menor.

Agência Estado |

O governo já revisou a previsão de produção de 22,5 milhões para 20 milhões de toneladas, enquanto o consumo é apontado em torno de 22 milhões de toneladas. "A produção deve ser menor este ano, e o sentimento do mercado sugere uma possível escassez depois que o período de processamento de cana terminar", afirmou uma autoridade do Ministério da Alimentação.

Uma avaliação final da safra não deve ocorrer até a primeira semana de março, já que as usinas geralmente encerram o processamento de cana em fevereiro. "Estamos estudando todas as opções para importações", afirmou a autoridade, acrescentando que o governo não iria gostar de ver os preços do açúcar, uma commodity essencial, subindo.

Estoques de passagem de 9 milhões a 11 milhões de toneladas no ano passado deram algum conforto ao governo, mas os preços locais já ultrapassaram as cotações internacionais na expectativa de uma escassez doméstica.

Segundo analistas, o governo está fazendo uma análise cuidadosa para que um afrouxamento nas restrições à importação de açúcar demerara não beneficie apenas aqueles que esperam ter lucro vendendo açúcar branco em meio aos elevados preços locais, mas também diminua a diferença entre oferta e demanda. Os preços locais estão em um intervalo de US$ 388 a US$ 406/t em vários mercados spot, enquanto os preços globais estão entre US$ 325 e US$ 340/t.

Sob a política atual de importação, importadores de açúcar demerara têm de exportar o açúcar processado a partir do produto importado dentro de um período de 24 meses para evitar a tarifa de importação. Os usineiros precisam pagar uma tarifa de importação de 60% se quiserem processar e vender o açúcar no mercado local.

Uma diminuição das restrições à política de importação poderia dar mais tempo para que os importadores cumpram a obrigação de reexportação, ou eliminar ou reduzir a tarifa de importação. "Mudanças na política poderiam pressionar os preços e induzir os produtores de cana a optarem por outras culturas", afirmou uma autoridade da Associação das Usinas de Açúcar do Sul da Índia. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG