Tamanho do texto

Índice recua 6,7% nos três primeiros meses do ano e tem maior baixa desde 2000

A inadimplência do consumidor nos três primeiros meses de 2010 atingiu o menor patamar dos últimos dez anos. Segundo dados do Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor, houve queda de 6,7% na inadimplência entre janeiro e março de 2010, em relação a igual período do ano passado. É a maior queda desde a criação do índice, em 2000.

“A variação se deve à boa conjuntura econômica de 2010, com mercado aquecido, geração de empregos e evolução na renda, fatores que contribuem para a queda na inadimplência”, diz a Serasa.

Vale reforçar, ainda, que nos primeiros três meses do ano passado, a economia atravessava o pior momento da crise mundial, o que fez com que os índices de inadimplência subissem consideravelmente.

Já frente ao mês de fevereiro, a inadimplência do consumidor subiu 13,9%. A alta é atribuída a um efeito sazonal, já que em março vencem algumas despesas típicas de início de ano, como IPVA e gastos com educação.

“Além disso, neste ano, março teve cinco dias úteis a mais do que fevereiro e, ainda, a alta dos preços dos alimentos reduziu os recursos disponíveis do consumidor para honrar suas dívidas”, completou a Serasa.

Na comparação com março de 2009, houve queda de 9,1% na inadimplência do consumidor, o maior recuo para o mês desde o início da série histórica.

A perspectiva da Serasa é de que a inadimplência do consumidor continue em queda na relação acumulada no primeiro semestre. Mas algumas pressões podem surgir a partir de agosto, diante das perspectivas de alta dos juros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.