A inadimplência das pessoas jurídicas apresentou queda de 2,6% em setembro, na comparação com agosto, registrando a segunda queda consecutiva e o menor patamar em onze meses, segundo pesquisa da Serasa Experian divulgada hoje. No acumulado de janeiro a setembro deste ano, o indicador teve alta de 26,7% ante mesmo período do ano passado.

Na relação de setembro de 2009 sobre setembro de 2008, por sua vez, o crescimento foi de 11,3%, informa a pesquisa.

Para os analistas do Serasa, o avanço da inadimplência das empresas, de 11,3% em setembro contra o mesmo mês do ano passado, ainda está acima da taxa média anual de expansão observada entre 2005 e 2008 (crescimento de 6,5%). Contudo, os técnicos preveem que o caminho de volta a um ritmo menor de crescimento da inadimplência ao longo dos próximos meses dependerá não apenas do fortalecimento da atividade econômica, mas também da normalização da oferta de crédito às empresas, a exemplo do que tem acontecido com o crédito aos consumidores.

Os títulos protestados lideraram o ranking de representatividade da inadimplência das empresas no período de janeiro a setembro, com 41,6% de participação. Os cheques sem fundo (38,9%) e as dívidas com bancos (19,5%) vêm na sequência na avaliação do endividamento de pessoa jurídica.

Segundo a pesquisa, nos nove primeiros meses do ano, as dívidas com bancos tiveram um valor médio de R$ 4.563,54, com 3,6% de crescimento, ante o período de janeiro a setembro de 2008. Já em relação aos títulos protestados, o valor médio observado de janeiro a setembro de 2009 foi de R$ 1.783,80, com avanço de 17,9%, quando comparado com igual acumulado do ano anterior. E os cheques sem fundos tiveram no mesmo período seu valor médio em R$ 1.579,34, resultando em 21,6% de aumento, na relação sobre o período de janeiro a setembro de 2008.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.