Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Inadimplência da pessoa física é a maior desde 2002, mostra Banco Central

A taxa de inadimplência do crédito do sistema financeiro brasileiro subiu para 4,4% em dezembro, informou, nesta terça-feira, o Banco Central. Em novembro, esse indicador estava em 4,2%.

Agência Estado |

  • Inadimplência em compra de carros é a maior da história
  • Crédito no país se recupera e fecha 2008 em alta 
  • Juro do cheque especial fecha 2008 em 174,9% anuais

     

    Conforme os dados do Banco Central, com a alta registrada no último mês do ano passado, o porcentual dos pagamentos de empréstimos com atraso superior a 90 dias atingiu o maior patamar desde novembro de 2007, quando estava em 4,5%.

    Em dezembro, a inadimplência dos empréstimos para as pessoas físicas atingiu 8,1% ante 7,8% de novembro. Esse é o maior nível de inadimplência para pessoas físicas desde setembro de 2002, quando a taxa atingiu 8,2%. Nos financiamentos para as empresas, a inadimplência foi de 1,8% em dezembro, ante 1,7% em novembro.

    O Banco Central também informou que o prazo médio dos empréstimos com recursos livres caiu para 377 dias em dezembro, ante 378 dias em novembro. Nas operações para as famílias, o prazo médio é de 483 dias, mesmo patamar de novembro. E, para as empresas, de 305 dias, estável na comparação com o mês anterior.

    Juros e spread

    A taxa de juros do crédito com recursos livres recuou em dezembro para 43,2% ao ano, de 44% em novembro, de acordo com os dados divulgados hoje pelo BC. Em dezembro de 2007, essa taxa média era de 33,8% ao ano. A taxa de juros para pessoa jurídica recuou de 31,3% em novembro para 30,7% ao ano em dezembro. Em dezembro de 2007, a taxa para esse grupo era de 22,9% anual.

    Para pessoa física, a taxa de juros teve queda de 58,2% para 58% ao ano de novembro para dezembro. Em dezembro de 2007, a taxa de juros para pessoa física estava em 43,9% ao ano para pessoa física.

    Apesar da queda na taxa de juros, os bancos voltaram a ampliar o spread (diferença entre a taxa paga pelo banco na captação dos recursos e a taxa cobrada no empréstimo ao cliente). O spread estava em 30,6 pontos porcentuais em dezembro. Em novembro,o spread era de 30,1 pontos porcentuais e, em dezembro de 2007, era de 22,3 pontos porcentuais.

    O spread para pessoa física em dezembro ficou em 45,1 pontos porcentuais, ante 43,1 pontos porcentuais em novembro e 31,9 pontos em dezembro de 2007. Já o spread para pessoa jurídica ficou estável em 18,3 pontos porcentuais em dezembro, ante novembro. Em dezembro de 2007, o spread médio para as empresas era de 11,9 pontos porcentuais.

    Saldo total

    O saldo de operações de crédito do sistema financeiro brasileiro cresceu 1,6% em dezembro, ante novembro, para R$ 1,227 trilhão. O crescimento em todo o ano de 2008 foi de 31,1%, de acordo com o BC. As operações de crédito com recursos livres aumentaram 0,9%, para R$ 871,9 bilhões. No ano, o crescimento do crédito livre foi de 31,9%.

    O crédito com recursos direcionados registrou uma expansão de 3,4% em dezembro, ante novembro, para R$ 355,4 bilhões. No ano, a evolução foi de 29,2%.

    Em dezembro, a participação de crédito no Produto Interno Bruto (PIB) atingiu 41,3%. Em novembro, essa relação estava em 40,4%. Em dezembro de 2007, o volume de crédito no País representava 34,2% do PIB.

    Leia mais sobre inadimplência

  • Leia tudo sobre: inadimplência

    Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG