Um novo estudo afirma que o etanol de celulose impõe menos custos para a saúde humana e o meio ambiente do que o etanol de milho que, por sua vez, teria um impacto maior do que o gerado pela gasolina. O etanol de milho é consumido em grande escala nos Estados Unidos.

A pesquisa, realizada pela Universidade do Minnesota, calcula os custos ambientais e de saúde do etanol de celulose entre 19 e 31 centavos de dólar por galão - menos da metade do custo gerado pela gasolina, estimado em 71 centavos.

Já o etanol de milho teve o pior resultado, com custos estimados entre 72 centavos e US$ 1,45 por galão, dependendo da tecnologia empregada na produção. "Esses custos não são pagos por aqueles que produzem, vendem ou compram gasolina ou etanol. O público paga esses custos", afirmou Stephen Polasky, coautor do estudo e professor do departamento de economia aplicada da universidade.

O estudo, o primeiro a estimar os custos econômicos para a saúde humana e o meio ambiente dos três combustíveis, será publicado no jornal de Procedimentos da Academia Nacional de Ciências este mês. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.