BRASÍLIA ¿ O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira que o Brasil deverá sofrer impactos quase ¿imperceptíveis¿ com a crise econômica dos Estados Unidos. Entretanto, segundo ele, a atitude do governo terá de ser similar à de um médico que realiza uma cirurgia e obrigatoriamente tem de acompanhar a recuperação de seu paciente.

[A crise] pode atingir, mas atingirá o Brasil menos do que em qualquer outro momento. Muito menor do que na década de 90, eu diria que quase imperceptível, disse. Na ocasião, o presidente ressaltou que a situação atual da economia brasileira permite ao governo "ficar tranquilo, porém atento" em relação à crise financeira desencadeada nos Estados Unidos.

Na ocasião, o presidente lembrou que o crescimento do mercado interno é o principal responsável por fortalecer a economia brasileira. É importante lembrar que hoje, o que está puxando a economia brasileira é o forte crescimento do mercado interno. Vamos continuar acreditando que ele pode ser a grande tábua para que o Brasil não tenha nenhum peso maior com a crise americana, disse.

Lula destacou que por enquanto os economistas ainda não conseguem prever a dimensão da crise. "É uma crise que nenhum economista tem uma visão geral do que vai acontecer, e olha que eu converso com economista todo dia", disse Lula.

Leia mais sobre mercado financeiro

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.