Tamanho do texto

São Paulo, 13 - Dono da maior área plantada com grãos na safra 2007/08, o Mato Grosso pode perder o posto de líder em produção na safra que começa a ser plantada por falta de recursos. De acordo com estudo realizado pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agrícola (Imea), faltam R$ 2,9 bilhões para os agricultores do Estado conseguirem fechar as contas e semear os mesmos 8,6 milhões de hectares da safra passada utilizando o mesmo padrão de tecnologia.

Segundo o levantamento da instituição, o Estado vai precisar de R$ 12,2 bilhões para plantar a safra 2008/09, quantia 43% superior à do ano passado. "Esse crescimento se deve ao aumento dos custos de produção, provocado pela alta nos valores dos insumos", afirma Seneri Paludo, superintendente do Imea.

Dos R$ 12,2 bilhões necessários, o Imea estima que apenas 7,3% da necessidade será proveniente do crédito oficial do governo. A maior parte dos recursos é financiada pelas tradings e bancos privados, que devem disponibilizar 60,4% dos recursos neste ano, ficando 32,3% por conta dos próprios agricultores.

Segundo Paludo, apenas os produtores do Estado teriam que aplicar R$ 3,95 bilhões, dos quais existem em caixa disponíveis para serem investidos R$ 2,1 bilhões. "Com isso, faltam R$ 1,9 bilhão. O outro R$ 1 bilhão é equivalente a dívidas de renegociação que vencem nesta safra", explica Paludo para chegar aos R$ 2,9 bilhões.

Recursos Privados

Apesar do déficit ainda existente no caixa dos produtores, Paludo ressalta que outra preocupação existente no Imea é em relação aos recursos privados de tradings e bancos, que financiam a maior parte da safra mato-grossense. "Não conseguimos identificar quando dos R$ 7,4 bilhões que seriam aplicados pelas empresas privadas já chegaram aos produtores, mas diante da falta de crédito no mercado internacional pode faltar ainda mais crédito para a safra no Estado", afirma Paludo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.