Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

IGP-M registra deflação de 0,58% na segunda prévia de janeiro

RIO - A deflação apurada pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) se aprofundou na segunda leitura de janeiro, quando o indicador caiu 0,58%. No primeiro decêndio do mês, a queda foi de 0,36% e, na segunda medição de dezembro, houve avanço de 0,05%, de acordo com os dados da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Valor Online |

Nos 12 meses acumulados até esta prévia, o IGP-M registra alta de 8%.

Novamente, o declínio nos preços no atacado foi o responsável pela retração na segunda prévia de janeiro. O Índice de Preços ao Atacado (IPA), que representa 60% do indicador geral, passou de queda de 0,15% na segunda prévia de dezembro para recuo expressivo de 1,09% nesta pesquisa. Os produtos agropecuários caíram 0,31% e os produtos industriais baixaram 1,37%.

Os três estágios de produção componentes do IPA apresentaram deflação. Os Bens Intermediários declinaram 1,39%, puxados pela baixa de preços em materiais e componentes para a manufatura, enquanto os Bens Finais perderam 0,86%, influenciados pela queda de 8,31% vista em veículos e acessórios. As Matérias-Primas Brutas, que haviam subido 1,29% um mês antes, agora apontaram queda de 0,90%, pressionada pela baixa de itens básicos que haviam subido muito nas medições anteriores. São exemplos o tomate e o minério de ferro.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que responde por 30% do IGP-M, passou de uma alta de 0,54% na segunda parcial de dezembro de 2008 para 0,59% neste levantamento. Assim como já apurado por outros índices de preços, o grupo Educação foi o que teve o maior salto, indo de 0,38% para 1,18% entre as segundas prévias de dezembro e janeiro. O resultado reflete as despesas típicas de começo de ano com reajuste de matrículas e materiais escolares.

Outros três grupos também viram a taxa de variação se acelerar nessa comparação. Transportes avançou de 0,33% para 0,72%, em função de alta na tarifa de ônibus urbano. O grupo Alimentação foi de 0,76% para 0,81%, refletindo o aumento de preço das frutas, e o de Despesas Diversas, de 0,16% para 0,27%, influenciado pelo reajuste de ração animal.

Por outro lado, desaceleraram as variações vistas nos grupos Habitação (0,45% para 0,28%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,65% para 0,50%) e Vestuário (0,72% para 0,38%).

O Índice Nacional do Custo da Construção (INCC), representativo de 10% do indicador geral, apurou inflação de 0,15% na segunda prévia de janeiro, após situar-se em 0,25% em igual levantamento do mês passado. O indicador relativo a Materiais e serviços subiu 0,29% e Mão-de-Obra ficou estável.

O segundo decêndio do IGP-M compreende o intervalo entre os dias 21 do mês anterior e 10 do mês de referência.

(Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG