Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

IGP-M mostra deflação de 0,31% no primeiro decêndio de janeiro

SÃO PAULO - O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV), registrou variação de negativa de 0,31% no primeiro decêndio do mês de janeiro, que corresponde ao período do dia 21 a 31 de dezembro. Segundo os dados divulgados há pouco, o resultado ficou abaixo do registrado no mesmo período de apuração do mês anterior, quando o indicador ficou positivo em 0,14%.

Valor Online |

No acumulado dos 12 meses, o IGP-M marcou 8,29%.

Entre os índices que compõem o IGP-M, o que mede a evolução dos preços por atacado (IPA) teve baixa de 0,56%, sendo que no mesmo período do mês de dezembro, o indicador registrou alta de 0,04%. O grupo que mais contribuiu para esta queda foi o das matérias-primas brutas, que registrou deflação de 1,08% no período, sendo que, no mês anterior, tinha apresentado alta de 1,31%.

Os itens que mais contribuíram para esta mudança de direção foram o tomate, que passou de 62,06% para -10,50%, os bovinos, de -0,89% para -6,43% e os suínos, de 2,14% para -11,52%.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), responsável por 30% do IGP-M, subiu 0,24%, taxa menor do que a de 0,36% da apuração anterior. Cinco das sete classes do componente do índice registraram desaceleração em suas taxas de variação, sendo que os destaques neste sentido foram os grupos Alimentação (de 0,36% para 0,15%) e Habitação (de 0,39% para 0,21%).

Dentro do IPC, o item que teve a maior influência de alta para o indicador foi a batata-inglesa (10,39%) e o que teve maior impacto negativo foi o limão (-36,03%).

Também contribuíram para o recuo da inflação os grupos Vestuário (de 0,93% para 0,52%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,58% para 0,45%) e Educação, Leitura e Recreação (de 0,38% para 0,14%). Já Transportes e Despesas diversas subiram, de 0,07% para 0,35%, e de -0,09% para 0,17%, respectivamente.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), responsável por 10% do IGP-M, apresentou alta de 0,13%, resultado que ficou abaixo do observado na apuração anterior, de 0,27%.

(Vanessa Dezem | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG