A China atraiu US$ 23,4 bilhões em investimento estrangeiro direto (IED) no primeiro trimestre, 7,7% acima do mesmo período do ano passado, informou o governo hoje, apesar das preocupações entre as companhias estrangeiras em relação ao ambiente para o investimento externo no país. O IED cresceu 12,1% em março em relação ao mesmo mês do ano passado para US$ 9,42 bilhões, segundo o Ministério do Comércio.

A China atraiu US$ 23,4 bilhões em investimento estrangeiro direto (IED) no primeiro trimestre, 7,7% acima do mesmo período do ano passado, informou o governo hoje, apesar das preocupações entre as companhias estrangeiras em relação ao ambiente para o investimento externo no país. O IED cresceu 12,1% em março em relação ao mesmo mês do ano passado para US$ 9,42 bilhões, segundo o Ministério do Comércio. Após a divulgação dos números, algumas autoridades chinesas reconheceram haver problemas com certas políticas de Pequim para o investimento estrangeiro, mas destacaram que, de modo geral, o ambiente aos investimentos externos permanece favorável. <p><p>Recentemente emergiram sinais de que Pequim está suavizando as regras para o investimento estrangeiro, após companhias estrangeiras expressarem frustração com a piora nas condições para os negócios no país e observarem haver discriminação de tratamento em relação às empresas domésticas. Em contrapartida às críticas, o governo emitiu nos últimos dias uma nova regulamentação para acesso de empresas estrangeiras às licitações públicas e para maior participação em setores como de alta tecnologia.<p><p>"Alguns problemas existem. O ambiente ao investimento na China não é perfeito. Mas acreditamos que estes problemas ocorreram em consequência do rápido crescimento (no investimento estrangeiro). Eles não teriam merecido discussões se não houvesse um fluxo de capital estrangeiro tão grande", afirmou o vice-presidente da Comissão Nacional de Reforma e Desenvolvimento, Zhang Xiaoqiang. As informações são da Dow Jones.
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.